segunda-feira, 12 de setembro de 2022

Eleições

                                              Eleições

 

            Meu blog silenciou.  Mas eu não o matei.

            Em primeiro lugar, presto minha mais sincera homenagem à Rainha Elizabeth II, que sempre admirei com o máximo respeito.

            Talvez não deveria constar de crônica política local, mas se minha mão não parou, respeito.  A gente começa a escrever com uma ideia, os pensamentos fluem e o resultado fica bastante diferente.  As eleições presidenciais, o sistema republicano democrata mais retrógrado que os estudiosos políticos ainda aplaudem,  dão poder a alguém de ser ditador com mandato certo durante um espaço de tempo, ainda existe.  E temos com isso os mais completos disparates.

                        Quase todos justificam com o regime político norte-americano, que não é nenhuma perfeição, mas a força descomunal do legislativo garante um bom equilíbrio, o que não se vê em outros países, Brasil incluído.  Um homem não pode representar um povo!  Só vários, em congresso, num gabinete determinado, cujo Primeiro-ministro comanda, é legal e democrata.  Falhou, vai a julgamento parlamentar. Vencido, nova eleição é feita pelos representantes do povo, até que logo a maioria declare, por voto, quem será o novo dirigente, que vai organizar o seu gabinete. 

            É a forma de poder mais honesta, racional e democrata que existe, hoje praticada pela maioria das nações.

           

            Envergonhado, volto a falar no Brasil.  Os candidatos que se destacam são Bolsonaro e Lula.  Um, completamente insano; outro, desonesto. 

 

            A imagem é homenagem a mais simpática, doce e honesta dirigente que já tivemos!  Obrigado, Lilibeth.    

 

9 comentários:

Ana Bailune disse...

Todo o progresso do mundo foi feito por pessoas consideradas, muitas vezes, insanas e sonhadoras. nada foi construído por ladrões e mentirosos. Voto no insano.

Anônimo disse...

Como sempre, querido Jorge, irreprochavél! Beijo.

Ana Freire disse...

Não sendo eu simpatizante da causa monárquica, foi contudo impossível, não nutrir uma simpatia crescente por Lilibeth, ao longo dos anos... que lá foi gerindo o melhor possível, e de uma forma admirável, uma união... tanto no seio familiar, sempre problemático... bem como no seu Reino... sempre no limite de várias desuniões latentes...
Aquela sensação de que o Mundo balançava em acontecimentos vários... mas que a Rainha estaria para sempre lá, firme como uma rocha... foi-se!... Mas vamos ver agora, como se sai Carlos III... com o seu mood mais temperamental...
As democracias... não são perfeitas... mas quando funcionam... lá vão provando que ainda assim, não se inventou outro regime melhor, por enquanto!... E as monarquias parlamentaristas... também são algo muito interessante de ir acompanhando. A inglesa, gera imensas receitas de merchandising... turismo... e um inesgotável interesse mundial, com os seus formalismos, que faz as delícias das revistas cor de rosa, coberturas televisivas... e tudo isto... gera... money, money, money...
No Jubileu apurou-se que a monarquia britânica, custava a cada súbdito, um euro e meio por ano... ou seja o preço de dois cafezinhos, por ano.
A desonestidade... é uma "qualidade" a que muitos de nós já se foi habituando a ver de mão dada com tantos e tantos políticos... e de variadas cores partidárias. A corrupção existe... é transversal a todas as sociedades, e países... e a carne é fraca... também no sector da politica...
Mesmo assim... acho a desonestidade mais suportável... do que a insanidade. Pelo menos, o preço da primeira, é sabido... em números redondos... ou em contas com a justiça... pagas... ou por pagar... mas gira sempre em torno de um valor concreto... que mais tarde ou mais cedo, lá vai sendo descoberto, sabido... e divulgado...
Agora quando a insanidade, gera perda de vidas... que poderiam muito bem ser evitáveis... não há mesmo valor no mundo para tal... e nem desculpa para tal.
Em qualquer parte do mundo... prefiro um líder desonesto, a um líder insano... que pode apresentar ao mundo... um preço... impagável! Qual o preço de um vida perdida inutilmente? Qual o preço de um sem número delas? Qual o preço de se destruir uma parte do seu território, que não terá mais recuperação... e o mais grave... que até poderá ter implicações à escala planetária?...
Em qualquer parte do mundo... o preço da desonestidade... é sempre bem mais reduzido do que o preço da insanidade... que no limite... pode condenar o mundo de vez... até a uma situação sem retorno possível!...
Excelente texto, Jorge, que como sempre... nos faz reflectir, sobre uma porção de coisas, neste mundo tonto, que continua girando para um lado só... e às vezes no processo... arrastando todo o mundo para um só lado... umas vezes mais para o lado da razão... outras vezes, para o lado mais oposto à razão...
Deixo um beijinho, e votos de continuação de um pacífico e ordeiro Setembro, por aí... já que as eleições estão à porta... embora quando algum insano, esteja no comando... nunca se sabe bem... o que esperar do dia seguinte, a umas eleições... se se continua acordando ainda em democracia... ou se se desperta numa inesperada ditadura...
Tudo de bom!
Ana

Carmem Velloso disse...

Sem dúvida, a maior política sem fazer 'onda' no século vinte. Um exemplo, Jorge! Bela homenanagem.
Carmem

Eduarda Krass disse...

Lucidez e clareza!
Beijo, querido Jorge! É o que estamos passando.
Beijo, Duda.

Anônimo disse...

Olá Jorge, obrigada por sua visita ao Barlavento .
Acredito que seja dificil votar com convicção nas actuais eleições desse grande país , mas só há duas hipóteses, ou se vota,ou se abstem...
Que corra tudo pelo melhor!!
Concordo com a sua homenagem à raínha Isabel, foi realmente uma GRANDE monarca!!
Um abraço.

CÉU disse...

Jorge,

O meu respeito e carinho pela saudosa rainha Isabel II.
Bolsonaro é um louco e é burro, mas tem com ele apoiantes, devido à religião. Religião e política deveriam estar separadas.
Lula fez das suas, mas me parece que é um mal menor.

Beijos, meu amigo.

Ana Freire disse...

Vamos lá ver o que resulta da segunda volta... já que os resultados ficaram adiados mais um mês, criando uma expectativa crescente...
Que a paz e a democracia prevaleçam... e que os insanos, não se revelem ainda mais insanos... desses é que será de ter medo...
Um beijinho! E tudo a correr pelo melhor! Vamos ver o que resulta de mais um debate... de gritaria... agendado para amanhã, segundo creio...
Tudo de bom!
Ana

CÉU disse...

Oi, querido Jorge!

Passando para saber de você. Já não posta desde setembro. Estou aguardando. Eu sei que o natal está próximo e que janeiro é um mês muito importante.

Beijos e bom fim de semana.