sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Não sei















Não sei

Eu não sei d’alma a bondade
Acabou mudando o nome.
Mas eu sei que a caridade
É dar pão a quem tem fome.

16 comentários:

Espelho disse...

Linda trova, Jorge,bem atualística!
É, pode a caridade ter mudado de nome, mas, ainda assim é caridade... Fazer o Bem sem Olhar a Quem e Amar ao Próximo Como a Si Mesmo... Esta é a nossa verdade de sobre vida!

Quem mudou o nome deste ato de Amor Incondicional vai ter que responder a quem de direito irá cobrar...
Realmente muitos estão mudando tudo para a futilidade, para a vulgaridade, para a causa luciferiana...
Um abraço!
Mel

Mardilê Friedrich Fabre disse...

Jorge, amigo, a tua trova de simples nada tem, é de grande profundidade. Presta-se muito bem a uma boa reflexão. Abrs. Mardilê

Marcia disse...

Belos versos Jorge, em uma realidade triste..bjus

lino disse...

Abraço.

Liège disse...

Caro Jorge, seus versos fazem-nos refletir.
Caridade é um belo sentimento (ou ação) capaz de levar a alegria a muitos corações, inclusive ao de quem a pratica.
Abraços.

Eliana disse...

Oi Jorge, a caridade é algo muito importante, para quem dar e para quem recebe. Pois, é um bem que faz bem!

Tenha um ótimo fim de semana!!! Beijos

miriam panighel carvalho disse...

Trova muito bonita, Jorge. Bondade, amor fraternal, caridade...Parece que esses atos de nobreza humana estão perdidos em algum lugar do passado.
É preciso resgatá-los para transmiti-los às crianças e jovens de hoje. Assim,no futuro, quando adultos,quem sabe eles consigam melhorar o mundo em que vivemos.
Parabéns pela bela mensagem!

Um abraço,

Miriam Panighel Carvalho

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Nada justifica haver mais fome do que pão. Enquanto não se faz justiça, continue o amigo Jorge a nos alimentar a alma. Parabéns pela trova, meu caro.

petuninha disse...

Olá, Jorge!
A questão social em nosso país é complexa e os problemas se avolumam.
Apenas ""dar o pão"" não resolve o problema. A sociedade precisa de ensino, emprego e dignidade.
Sou totalmente a favor da sabedoria chinesa:""Não apenas dê o peixe, mas ensine a pescar.""


Beijos.

Cristal de uma mulher disse...

Maravilhoso pensar,te felicito porque já nem sabemos mais o que fazer e nem o que somos. Diante de tantas corrupções da vida.

Um grande abraço

petuninha disse...

Olá, Jorge!
Bem complexa é esta questão. Há uma péssima distribuição de renda em nosso país. E questões sociais que se agravam sempre mais.
Há muita gente faminta, que não apenas o pão resolveria, mas que precisaria de ensino, emprego e dignidade.
Sou totalmente a favor da velha sabedoria chinesa: ""Não dê o peixe, ensine a pescar"".
Beijos da Petuninha.

Rita Lavoyer disse...

Demorei, mas cheguei! Cá estou para matar a minha fome de leitura. Saciada, deixo o meu forte abraço blogal.

Drisph disse...

obrigada meu amigo, por seus comentários e por seguir o blog, estará concorrendo dia 10 próximo, a um dos nossos livros, beijos e boa sorte.

Drisph disse...

o pão na transformação com o trigo; com as mãos a sovar a massa, tempo, dedicação...Amor... Caridade é doar um pouco de si, junto com o que se doa.

Obrigada por sua visita e comentário gentil.
Passando para desejar a você um ótimo inicio de semana, e lembrar que amanhã tem sorteio entre os seguidores - 10 livros só para vocês!
Um beijo e passe por lá amanhã para saber se teu nome não está na lista dos contemplados!
Bj

Cristal de uma mulher disse...

Meu querido vim colher mais de tua êssencia

Uma tarde de maravilhas e beijo

Dayse Sene disse...

Palavras de verdade.
O mundo precisa olhar para o nosso semelhante.
Caridade, faz-me lembrar Madre Teresa de Calcutá.
Um ótimo domingo.
Um grande abraço.