terça-feira, 30 de maio de 2017

Meu blog

                                     

            Ah, quando vejo meu blog!  Tudo começou uma simples brincadeira, que o tempo acabou de transformar em realidade.
            Sim, realidade, que desde que comecei fui confessando os meus pecados, procurando um sacerdote que diga “Ego perdono pecatus tuis. In nomine Patris, et Filli, et Espiritus Sancti, Amen”.
            Nem mesmo procurei saber se o latinório está correto.  Porque o blog é corrido, não se faz literatura dele, blog é blog, literatura é muito diferente.  Escritor sem sucesso, pelo menos no momento, alcancei um bom número de comentaristas, todos de primeira linha. Basta ser bloguista, ou blogueiro, como queiram, para atestar a veracidade.
            Quantos amigos comentam!  São todos muito bem-vindos, seja para malhar, seja para concordar.  O blog tem esta característica.  Aqui, fala quem quiser a sua verdade, se de acordo ou não com o texto colocado.
            O autor, fica livre para dizer o que bem entende.  Ofender não deve, mas chamar à atenção, deve.  Sou feliz quando me expresso.  O Facebook, por exemplo, é transitório. O que não ocorre aqui.  Escreveu, defenda sua ideia, pena de ser desacreditado para sempre.   O blog é salutar!  Você fica livre para dizer suas verdades, e os comentaristas para expressarem suas opiniões.
            Não sei quem inventou esta vertente literária.  Sei apenas que foi uma mentalidade lúcida.



Eu timoneando o veleiro Mercurius.

14 comentários:

Tais Luso disse...

Que lindo texto, Jorge! Dá para sentir que vem lá do fundo do coração. Também adoro meus amigos blogueiros, tenho carinho por todos. Por vezes minhas verdades são um tanto pesadas, outras na leveza, conforme meu estado de espírito. Conforme o que a vida nos apresenta. Não faço parte de rede social, por opção mesmo.
Nos blogs escrevemos textos, sejam eles poemas nossos ou de alguns poetas consagrados, sejam crônicas, ensaios, contos... Enfim, coisas do nosso cotidiano.
Deixo um abraço a todos os seus amigos blogueiros, alguns meus amigos também. Parabéns por esse texto tão terno, aliás, estamos precisando atualmente, no Brasil, ler algumas coisas mas suaves, mais ternas.
Beijo, amigo, uma boa semana.

Célia Rangel disse...

Olá, Jorge! Revigorante ler seu texto. Compactuo. Vejo que o blog é um espaço aberto para quem escreve, quem lê e comenta. Sempre com respeito e responsabilidade pela obra exposta. Jamais conotação intelectualizada. Apenas sensibilidades e sensitividades que, acolhidas, nos levam a interiorização plena do dever e direito de cada um. Penso ser - um espaço democrático limpo, autêntico - sem as mazelas promíscuas que hoje imperam no reino da "ordem e progresso" que está mais para "desordem e retrocesso".
Blog é a temperança disso tudo, e mais m pouco... ler e participar do seu blog, Jorge, é um presente! Obrigada!
Abraço.

Anderson Fabiano disse...

Jorjão,

Estou tentando aperfeiçoar meu poder de síntese. Assim, deixo aqui blogado:
É muito bom quando abro meu e-mail e encontro "Olá! Fiz nova postagem no blog, e gostaria da sua leitura e eventual comentário".

Já sei que vou enriquecer mais um pouquinho.

Meu carinho,
Anderson Fabiano

Carmem Velloso disse...

Jorge, querido! Gostei da novidade. Quando o assunto é política, Deus me livre de sua língua e teclado, você bate para valer. Desta vez veio mansinho, um texto suave, muito agradável, saído do fundo do ser, como disse a Tais Luso.
Quer saber? Um pouco de açúcar não faz mal a ninguém!
Beijo
Carmem

Jorge Sader Filho disse...

Nunca interfiro no que posto. Em razão do tema, e de acordo com ele, agradeço desde já as queridas Tais, Célia e Carmem. São muito benevolentes comigo.
Anderson, além de constante aqui, o que me agrada sobremodo, é companheiro também na literatura. É o autor de "Bin Laden não morreu", onde tece uma série de fatos, todos comprovados. O prefácio é meu. Chega, não?
Que venham os outros convidados e não convidados. O blog é livre!
Abraços,
Jorge Sader

Lur disse...

Oi, jorge!
Sou grata por fazer parte deste seleto número de amigos seus. Gosto muito de seus escritos. Você tem muito talento. Bjs.

Caio Martins disse...

Pois é, Mestre Jorge! Vai daqui, vai dalí, lá se vão mais de oito anos nessa empreitada. O Blogger nos abriu valioso espaço e foi por alguns - dentre os quais você se destaca - valorizado numa boa parceria.
Vale sempre a pena ler as novidades e reler tudo de novo. Forte abraço, parceiro!

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Grato em ter bons motivos para estar sempre por aqui, Jorge. O jovem da foto é você?

Nadir D'Onofrio disse...

Jorge, grata pelo convite é, sempre um prazer ter acesso,
aos teus textos sejam eles, sobre política, ou, não!
 Hum (latinório), melhor deixar quieto, nunca me sai bem nessa matéria.

Como tu sabes sou arcaica, em minha época escolar era matéria obrigatória,
eita, castigo...
Abraços e bom final de semana!
Nadir

Eduarda Krass disse...

Lucidez, lucidez e clareza no que posta, Jorge. A gente acaba criando uma identidade com o que você posta e prega.
Sem bajulações, você hoje domina o assunto de blogs. É sempre muito claro e conciso.
Um beijo.
Eduarda Krass

Rita Lavoyer disse...

Olá, Jorge. Adoro blog. Eu o conheci, e aprecio demais sua amizade, através dos blogs. O blog é o nosso registro. Aqui, no seu blog, sinto-me em casa.tomo até um cafezinho, retiro-me, mas retorno sempre com alegria. Parabéns pela vivacidade do seu blog: seu cartão literário.
Grande abraço.

marcia disse...

Jorge,ler o que escreve é sempre bom principalmente, quando sua alma de poeta aflora.
É só uma ideia...bjus

Mardilê Friedrich Fabre disse...

Como tu, Jorge, descobri o blog. O meu transformou-se num lugar onde guardo minhas poesias. Algumas vão para livros, outras ficam rodando. Talvez até sejam plagiadas, mas não me importo com isso. É um risco q corro. Abrs Mardilê

Gil Façanha disse...

Com ar de nostalgia Jorge! De grande suavidade. Sempre vale a pena vir aqui te ler. Nem sempre venho devido a correria dos dias, mas sempre saio satisfeita com o que encontro aqui. Abraços.