sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Baixo astral


















Baixo astral

Acontece sempre. O baixo astral ataca o governo, a sociedade e o que gira em volta de ambos.
Dilma foi a Cuba e abriu o cofre, sem se preocupar com a política. É contra o bloqueio econômico ditado pelos Estados Unidos contra aquele pais. Todos somos. Na atualidade, não há como fazer discriminações econômicas, políticas, sociais ou religiosas contra quem quer que seja.
Internamente, estamos lutando contra uma série de homens públicos que se mostraram duvidosos de ocupar cargos de ministro, principalmente. Um erro da administração passada, que solapa o novo governo.
Como ponto positivo, a Presidente a República admitiu publicamente a existência de um estado palestino, livre e soberano. Justificou bem a sua afirmação.
Mas enquanto temos hoje privilegiada posição econômica, superando a Inglaterra, nosso índice de desenvolvimento humano, o IDH, vai mal. Muito mal. Qual seria a razão mais provável?
Simples. O brasileiro ainda é sem educação de base. Mal lê, mal escreve, mal sabe. Acho um absurdo esta questão do aluno completar o ensino básico sem mesmo saber ler ou escrever. É fato que não me entra na cabeça.
Deste modo, comprometida a educação, todos os outros problemas são desconhecidos, como saúde, saneamento básico e segurança. Esta vai de mal a pior. Com a greve dos policiais militares na Bahia, saques e assaltos estão sendo cometidos impunemente, e o idiota governo ainda insiste no desarmamento. Quem trabalha e não tem antecedentes criminais, não pode ser proibido de ter arma para a sua defesa, devidamente registrada no órgão competente. Sem este abuso de renovação, com fins nítidos de arrecadar mais e tornar mais difícil a posse das armas legais.
Afirmo uma vez mais: povo desarmado e ignorante é fácil de ser controlado. É o que o governo quer.
Parlamentarista convicto defendo o sistema, com amplos direitos de plebiscito ao povo. O governo nada manda; obedece aos anseios do povo. Todos os poderes. Executivo, legislativo e judiciário. Conseguidas cinco mil assinaturas válidas dos eleitores, qualquer decisão pode passar pelo voto popular, que pode vetar a mesma.
Os dirigentes odeiam esta ideia. É evidente. Grandes fortunas são construídas por causa desta distorção dita ‘democrática’, mas fascista acima de qualquer outra hipótese.

7 comentários:

Mardilê Friedrich Fabre disse...

Como professora, digo sempre, sem educação nada funciona. E não apenas a educação formal, mas aquela que se aprende em casa também, no convívio com os mais velhos, no respeito ao próximo. Abrs. Mardilê

Caio Martins disse...

Falou e disse, meu caro! A ideologia suposta pela "esquerda", no último quarto de século, como humanitária e boazinha, esqueceu dos fatores estruturais que você menciona, e uma ditadura do poder econômico foi imposta pelo méto mais sórdido: a corrupção...
Por isso, desarmar o cidadão de bem, detonar a Educação e a Saúde púclicas, e nivelar a cultura pelo mais sórdido. A Justiça? Também...
Abração, meu amigo!

Rita Lavoyer disse...

Oi, Jorge!

Pela primeira vez tenho que discordar de um ponto aqui neste seu espaço.

Luto imensamente para sair do meu estágio de ignorância, e já estive em situação que: se tivesse uma arma nas mãos teria feito besteira para vingar um filho.

Hoje não estaria aqui lendo o seu blog para me instruir um pouco mais e as sequelas seriam bem maiores.

Arma de fogo não é remédio pra nada.

Desculpe-me querido!Ainda que seja para defender um inocente. O crime promovido em minha defesa, da minha honra, estaria para sempre na minha memória. Nada apagaria isso.

Cruzes! Nada de armas.

E a blogueira cubana Yoani Sánchez
ficou por lá mesmo, heim?!

Já pensou Jorge, lá em Cuba um blog como o nosso?
Aff !!!!!!!

Márcia Sanchez Luz disse...

É isso aí, Jorge! A quem interessa pessoas capazes de exercer a cidadania, seres pensantes e atuantes?
Belo texto.

Beijos

Márcia

marcia disse...

Povo sem cultura é povo no cabresto..É uma lástima.......bjus

Espelho disse...

Bravo, Jorge! Desabafa!
Governos outros deixaram a desejar a educação, deixaram crianças pari aos 13, 14 15 anos, quando deveriam estar estudando integralmente e bem alimentadas... A Dilma tem culpa de uma educação nunca ter tido valor politicamente? Sim, ela deve reaver esta questão de educar os país e os filhos, tudo junto, porque o que os pais teriam de ter feito? O que deveriam fazer não fizeram, era nem pensar em ter filhos, buscarem sim, o seu sustento de acordo ao seu desenvolvimento financeiro, sua profissão. Não meteram os pés pelas mãos e saíram fazendo filhos que nem ratos, sem responsabilidade nenhuma e a culpa recai no governo? Não enxergo neste prisma. Agora a ninhada de filhos sem poder aquisitivo, culpa de quem os colocou no mundo estão com armas para destruir os que foram batalhar para ter uma vida mais decente, sem esperar por governo... Eu sou exemplo disto vivo, nem sei que era governo qdo sai em busca de meu diploma e sou cidadã do mundo!
Grande abraço

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Seu blog é também tribuna. E justiça seja feita, ainda que seja só no texto. Abraços e parabéns, Jorge.