quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Ensino no Brasil


             A medicina brasileira, até os anos 70, era respeitada mundialmente como boa.  Construímos Brasília, hoje considerada como Patrimônio da Humanidade.

            Temos a maior hidroelétrica do mundo, Itaipu.  Ora, um país capaz destas qualidades, forçosamente deve ter um ensino esmerado.  Teve um bom ensino.  Não tem mais.  Veio progressivamente caindo, a partir dos anos oitenta e teve queda acentuada nos últimos anos.

            O estudante brasileiro é hoje um dos piores do mundo, segundo dados internacionais, como a OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico).  É fraquíssimo no conhecimento da língua, e absolutamente imbecil na compreensão da ciência.  Ou seja, temos um futuro caótico pela frente.  As escolas, tanto na parte física, maltratada, sem conservação, suja e sem a parte intelectual, os professores qualificados, não são capazes de formar alunos capazes.  Tão vergonhosa é a coisa que muitos alunos possuidores do curso básico completo, o primário, mal sabem ler e escrever, uma humilhação das maiores.  Não era assim, até 1970, que parece ser a data do início da degradação do ensino brasileiro.

            A escola superior entrou igualmente em decadência.  Para ingressar na Ordem dos Advogados, os pretendentes são obrigados a passar em prova dada pela mesma, que tem a finalidade de resguardar os cidadãos quando precisarem de um advogado.  O ensino da medicina foi tão vulgarizado que o Conselho Federal já pensou em adotar o mesmo sistema da OAB, só permitindo a inscrição mediante aproveitamento em prova.

            O atual governo preza por destruir ainda mais o ensino, quando alunos ameaçam professores e pais processam os colégios, por entenderem que estão sendo rigorosos demais com a disciplina e as aulas ministradas.  O velho mestre, respeitado por todos antigamente e nos países do mundo, transformou-se em figura retrógrada e idiota, na visão dos pais e alunos.

            Grandes educadores brasileiros, como Cristóvão Buarque, um dos fundadores da Universidade de Brasília com o seu amigo e colega Darcy Ribeiro, tentaram reverter esta maléfica ordem, sem sucesso.  Ambos de formação socialista democrata deveriam ser aceitos nos governos do PT.  Darcy Ribeiro morreu, e o senador Cristóvão Buarque abandonou o Partido dos Trabalhadores, principalmente por causa do ensino.

            Segundo educadores competentes, esta é uma excelente forma de controlar o povo, mantendo-o ignorante e sem conhecer seus direitos.  Qualquer migalha que lhe for dada por políticos inescrupulosos é vista como dádiva dos céus, enquanto ele continua ignorante e explorado. 


Imagem:  Liceu "Nilo Peçanha", um dos melhores colégios dos anos 30 até 60.   

Publicado no Pravda de 04/12/2013.  http://port.pravda.ru/news/sociedade/04-12-2013/35767-ensino_brasil-0/

 

13 comentários:

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Realmente, Jorge. E se o alicerce está na educação, não demora para que tudo o mais caia em ruínas. Abraços!

Célia Rangel disse...

Plenamente de acordo, Jorge. Prefere-se as migalhas, que desdobrar-se na aquisição de conhecimento. Eternos fantoches empoeirados e embolorados!
Abraço.

Rita Lavoyer disse...

Jorge, quem está diretamente ligado ao ensino neste país concorda com a sua indignação, mas acrescenta, ainda, muito mais:

Sempre digo que professor brasileiro pode fazer de tudo, menos matar, porque já tem um lugar reservado no céu.

A maioria da clientela também não tem ajudado, muitos vão à escola porque são obrigados, porque há leis, estatutos que estabelecem que lugar de criança é na escola.

Concordo com isso, mas concordo também que há alunos que o único lugar que não serve para ele é a escola, ele está lá para atrapalhar o andamento das aulas e ameaçar colegas e professores.

Os pais, há sim os responsáveis, que acompanham o rendimento escolar dos filhos, e não são poucos, mas os pais ausentes deixam que o esforço dos pais responsáveis seja prejudicado. Na balança das circunstâncias, embora sendo a minoria, o peso maior está em quem só quer ver o circo pegar fogo.

Escola pública tem se tornado um lugar insalubre. Professor precisa receber ajuda insalubridade e de periculosidade.

E vai longe essa discussão.

Vera Fracaroli disse...

O Brasil vive muitos problemas no seu sistema de ensino, principalmente no sistema público, no qual eles são mais visíveis ou mais acentuados. Esses que por sua vez são , falta de professores, de profissionais qualificados para trabalhar no ambiente escolar, como, pedagogos, inspetores e outros, para seu devido funcionamento.
Atualmente a educação brasileira é defasada. As escolas estão sucateadas os professores recebem salários baixíssimos, alunos desmotivados, com fome, pois em suas escolas não há merenda escolar , o mal preparo do educador que não consegue lidar com certas advertências na sala de aula. Esses fatores ocorrem devido a falta de investimentos do estado na educação, e quando ocorre os investimentos , grandes parte do dinheiro é desviado devido a grande corrupção.
Contudo, o dinheiro que é desviado da educação reflete em salas de aula sem ventiladores, cadeiras quebradas, falta de merenda escolar, banheiros sujos, ausência de profissionais para instruir o aluno à um ambiente escolar mais confortável . É necessário fazer investimentos nessas áreas, mas não é só investir, tem que haver a fiscalização dos gastos de verbas. Assim dando condições para fazer os devidos reparos que o sistema educacional vem vivenciando.
Não adianta, entretanto, ter uma infraestrutura de qualidade se os educadores não tem competência para entra em uma sala de aula e poder executar uma aula dinâmica e didática. É necessário o treinamento do professor e também que se faça uma análise individual de cada aluno, pois cada um tem sua devida dificuldade de compreensão de certo conteúdo.
A educação no Brasil, portanto, está longe de ser a ideal, pois uma escola de qualidade e professores qualificados , sozinhos, não irão forma um indivíduo de bem e responsável. Portanto, é de fundamental importância a presença da família do aluno em sua educação, pois é ela que irá orientá-lo a se comportar como um cidadão, respeitando os professores, o ambiente escolar e os demais colegas de classe.
Será que tem jeito, tudo começa no Jardim da Infância e na estrutura de cada ser.
Bela cronica, parabéns!
Um abraço!

Marco Bastos disse...

Prezado Jorge, você conhece meus pontos de vista sobre esse assunto que considero da maior importância na construção de um País. Sobre a qualidade de nossos alunos, escolas e programas pedagógicos, aqui muito se disse, seu artigo também é contundente e aponta outros e muitos problemas que temos no setor. Assim, para não repetir, expresso apenas: a)Que a Educação e o Desenvolvimento do Conhecimento são aspectos estratégicos para o bom funcionamento da Sociedade e para garantir a sua autonomia e independência. b) Que essa compreensão deveria balizar as ações governamentais e orientar as políticas pedagógica e de investimento para o setor. c) Que a Educação não pode se submeter às ideologias e nem ser utilizada para a inserção e para o crescimento social das pessoas -essa inserção e crescimento devem ser consequência do ganho de habilidades e competências das pessoas, tornando-as mais produtivas e úteis para a Sociedade. d) Qualidade é mais importante que Quantidade. e) As Nações competem entre si com base no efetivo domínio da Tecnologia e do Conhecimento, e Estatística é apenas um instrumento para a avaliação de fenômenos que envolvem um grande número de variáveis e de dados. f)As Estatísticas não alteram a realidade. O que modifica a realidade são os planos, programas e políticas.
abrçs.

Caio Martins disse...

Brilhante artigo, Jorge, e brilhantes comentários, que os faço meus.
Mas, um dos ministros mais incompetentes da era Lula, o Haddad, que ajudou a afundar o ensino público como nenhum outro, foi eleito prefeito de São Paulo... Abração, Mestre!

Celso Felício Panza disse...

Jorginho, irrepreensível sua abordagem, filme perfeito e triste de um país elencado como dos mais ricos do mundo, sétimo. Paradoxos..
Sem tirar o mérito dos dois educadores citados,sob aspecto intrínseco do vocábulo aceitáveis, mas "políticos", um demitido pelo telefone,despersonalizou-se, permitiu chegar a isso, agachou-se, defenestrado pelo "Capo di Tutti Capi", figura cujo nome não declino em lugar nenhum, pois causa engulhos e possível vômito, o outro místico da ideologia do nada, comunismo,ambos mais políticos que educadores. Mas é como você afirma, a coisa escapou do controle, disfunção total de apreensão, absoluta seara de "nova língua", cretina e estúpida, retalho de solecismos, e "rinha de galo" nas aulas, onde apanham todos, de professores a rixa de alunos. Ensino superior, SUPPERIOR???? Incomoda!!
É isso meu caro, é bom apontar sempre, como vc fez, com propriedade. Abraço. Celso

Maria Carmem Velloso disse...

Ainda frequentando o campus, embora já bacharelada, vejo o que se passa no ensino superior. Quem não prossegue estudando, pouco sabe. Irretocável a crônica, Jorge.
Beijo. Carmem

Márcia Sanchez Luz disse...

É, Jorge...propiciar a construção do conhecimento não é conveniente para um governo sem-vergonha e corrupto. Cidadãos conscientes de sua capacidade de transformar a realidade são uma ameaça aos que detêm o poder. Uma pena...

Abraços

Márcia

Mardilê Friedrich Fabre disse...

Jorge, comecei a lecionar na década de 1960 e assisti à decadência do ensino. Era professora "caxias" das que exigiam do aluno. Hoje não teria condições de dar aula, seria "esfolada viva". Abrs. Mardilê

IDERVAL TENÓRIO-MÉDICO disse...




 ALGUMAS PERGUNTAS AO BRASIL


1-Um país que não tem Escolas pode gastar 5 bilhões na compra de aviões de guerra?

2-Um país sem Hospitais tem condições de gastar mais de 20 bilhões na construção de Estádios para Futebol e no programa da Copa?

3-Um país que não valoriza o professor pode abrir centenas de Escolas de Medicina, de Direito , de Enfermagem, de Fisioterapia e Odontologia? Sem professores e sem hospitais Escola?

4-Um país que privatiza o setor saúde e o setor educação está pensando no bem do povo?

5-Um país que não produz pode ser um grande consumidor?

6-Um pais que não tem indústria própria , que não tem patente e que tudo que consome compra de fora pode dizer que está bem?

7-Um povo que luxa sem ter condições e que se endivida pode dizer que está bem?

8-Um país que vê a sua industria despencar pode se vangloriar?

9-Um país que está no topo da corrupção pode ser uma nação exemplar?

10-Uma nação onde o pistolão funciona pode ser um país sério?

11-Um país que em vez de construir escola , constrói penitenciaria pode ser um país sério?

12-Um país que, em vez de mostrar para a criança que estudar é o melhor , enfatiza que o uso de armas mostradas cotidianamente na televisão é mais vantajoso, pode-se dizer que é um país do futuro?

13-Um país que vive da venda de COMMODITIES e importa 60% do que consome pode dizer que está bem? será que pode?

14-Um país que não valoriza os seus médicos pode ser um país de futuro, pode ser um país sério?

15-Um país onde a prostituição é ovacionada, aonde tudo é pelo consumo pode pensar em ser uma grande nação? fale sério? será que só alguns estão vendo?

16-Um país que não tem dinheiro para esgoto e tem para comprar submarino é um país sério?

17-Um país que não tem saneamento básico e o Presidente do Senado, da câmara dos Deputados e muitos ministros requisitam da Força Aérea os seus AVIÕES para assuntos particulares é um país sério?

Quero que respondam.

Autor-
Iderval Reginaldo Tenório

IDERVAL TENÓRIO-MÉDICO disse...




 ALGUMAS PERGUNTAS AO BRASIL


1-Um país que não tem Escolas pode gastar 5 bilhões na compra de aviões de guerra?

2-Um país sem Hospitais tem condições de gastar mais de 20 bilhões na construção de Estádios para Futebol e no programa da Copa?

3-Um país que não valoriza o professor pode abrir centenas de Escolas de Medicina, de Direito , de Enfermagem, de Fisioterapia e Odontologia? Sem professores e sem hospitais Escola?

4-Um país que privatiza o setor saúde e o setor educação está pensando no bem do povo?

5-Um país que não produz pode ser um grande consumidor?

6-Um pais que não tem indústria própria , que não tem patente e que tudo que consome compra de fora pode dizer que está bem?

7-Um povo que luxa sem ter condições e que se endivida pode dizer que está bem?

8-Um país que vê a sua industria despencar pode se vangloriar?

9-Um país que está no topo da corrupção pode ser uma nação exemplar?

10-Uma nação onde o pistolão funciona pode ser um país sério?

11-Um país que em vez de construir escola , constrói penitenciaria pode ser um país sério?

12-Um país que, em vez de mostrar para a criança que estudar é o melhor , enfatiza que o uso de armas mostradas cotidianamente na televisão é mais vantajoso, pode-se dizer que é um país do futuro?

13-Um país que vive da venda de COMMODITIES e importa 60% do que consome pode dizer que está bem? será que pode?

14-Um país que não valoriza os seus médicos pode ser um país de futuro, pode ser um país sério?

15-Um país onde a prostituição é ovacionada, aonde tudo é pelo consumo pode pensar em ser uma grande nação? fale sério? será que só alguns estão vendo?

16-Um país que não tem dinheiro para esgoto e tem para comprar submarino é um país sério?

17-Um país que não tem saneamento básico e o Presidente do Senado, da câmara dos Deputados e muitos ministros requisitam da Força Aérea os seus AVIÕES para assuntos particulares é um país sério?

Quero que respondam.

Autor-
Iderval Reginaldo Tenório

Mardilê Friedrich Fabre disse...

Como professora, assisti à decadência do ensino. Foi lenta e gradual. E quando eu penso: "Pior que está não vai ficar". Para minha surpresa, fica pior, sim. E isso dói, porque passa um filme em nossa mente sobre ensinamentos, conversas, valores, que, ao longo do tempo, passamos para nossos alunos. Abrs Mardilê