terça-feira, 4 de março de 2014

Queda perigosa

     
 
            Ao longo do tempo, o Brasil vem sofrendo um declínio nada interessante.  Abrange vários pontos, todos eles de considerável importância.
            A economia, antes em franca ascensão e com moeda sólida, está fraca. A inflação, embora por enquanto baixa, não cede, a dívida interna aborrece e aumenta e não existe um plano de metas que vise corrigir os defeitos.  A continuar como está o efeito será desastroso.
            Os crimes de responsabilidade são cometidos sem a menor cerimônia.  Pela Constituição Federal, compete exclusivamente ao Congresso “resolver definitivamente sobre tratados, acordos ou atos internacionais que acarretem encargos ou compromissos gravosos ao patrimônio nacional” — Art.49, I, daquele diploma.  A presidente da República, sem dar a menor importância ao acima prescrito, autorizou empréstimo de quantia respeitável, para melhorias e construções no porto de Mariel, Cuba.  Deveria estar respondendo por crime de responsabilidade diante do Senado Federal, após denúncia do Procurador-Geral da República, mas continua em plena campanha visando a reeleição.
            A transposição do rio São Francisco, obra cara, iniciada no governo Lula e que poderia resolver bastante a seca no nordeste brasileiro, problema endêmico nacional, foi iniciada e gastou enorme quantidade de dinheiro dos cofres federais.  Não se sabe a causa, encontra-se parada e perdida.  O canal de concreto rachou totalmente, e hoje é uma figura dramática no já triste e estropiado sertão nordestino.  Vegetação rasteira sai das fendas que o concreto apresenta.  Dinheiro jogado fora, como se fossemos milionários excêntricos.  Também é crime de responsabilidade, mas sem nenhuma denúncia.
            Para aumentar esta série de inconsequências, o Supremo Tribunal Federal, julgando a ação penal 470, o famoso mensalão, houve por bem definir com precisão o crime de bando ou quadrilha, fato que jamais foi dificuldade no direito penal brasileiro.  A decisão foi tão confusa que pode causar dúvida ao estudante de direito, ou mesmo ao profissional experimentado.  O Supremo sempre foi um celeiro de juristas famosos.  Este é o mais fraco de todos existentes.
            O país, que já foi a quinta economia mundial, deve terminar o ano de 2014 como a nona.  A queda é grave, assusta.  Mais do que atemorizar os cidadãos, compromete um futuro que parecia auspicioso.  


Publicado no Pravda http://port.pravda.ru/news/busines/02-03-2014/36337-queda-0/  

14 comentários:

Marineide Dan Ribeiro disse...

O que mais me assusta é que ainda tem gente que defende essa corja imunda...

Um abraço

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Nossa, Jorge, como você está pessimista... E a Copa? E as Olimpíadas? E o Brasil sil sil padrão Fifa? Isso é o que realmente importa, o resto a gente empurra com a barriga... Abraços momísticos.

Caio Martins disse...

Jorge, para o momento que descreve, há que reportar-se à criação paulatina de leis a favor do crime. Não foi por acaso. O projeto estratpegico de tomada do poder cumpriu suas etapas de, dominado o Executivo, controlar o Legislativo e o Judiciário.
Denunciado o "Mensalão" pela imprensa, a tática foi simples: atrasar todos os procedimentos judiciais a extremos para, na época do cumprimento das sentenças, ter o STF encabrestado. Está!
Escrevemos muito sobre tais fatos. Todavia, pregamos no deserto, como João Batista... esperemos que nossas cabeças não sejam servidas em bandeijas por alguma Salomé desarvorada... Forte abraço!

Blogat disse...

E qual seria o caminho agora, amigo?
Quem estaria apto, neste momento para reverter esta situação, e por nosso país no trilho do desenvolvimento e do crescimento. Com mais(muito mais) justiça social, educação de verdade, e saúde tratada com seriedade?

Tais Luso disse...

Você ainda não percebeu que eles são muito brincalhões e com um coração de santo!!
Nossos problemas são tão pequenos que podemos emprestar dinheiro pra Cuba! O resto nem se fala...

Abraços!

Anderson Fabiano disse...

E o tal gigante não consegue despertar...

Que angústia.

meu carinho,
Anderson Fabiano

marcia disse...

Jorge, o problema é que a impunidade é a maior instituição desse país...

Rita Lavoyer disse...

Marineide, continue assustada, querida! Nosso susto faz uma diferença imensa. Marcelo, nada melhor do que a figurada da ironia para revelar tantas verdades. Caio, melhor ter a cabeça numa bandeja por ser um ser pensante, do que ter cabeça vazia e receber bolsas e tais. Continue sustentando o seu cérebro- ele será a sua salvação! Blogat, apelo agora para o pessimismo. Esse caminho traçado pelo qual nos obrigam a percorrer não tem volta, não! Prefiro os atalhos, lá , pelo menos, tem cobras mais boazinhas. Tais Luso, já que emprestaram esse valorzão, poderiam arrumar as malas e sumirem para lá também, não voltarem nunca mais, aí sim estaríamos resolvidos e felizes. Dinheiro o povo brasileiro honesto e trabalhador que faz esse país funcionar trabalha e ganha outro. Esses governantes quero mais que vão a cubaquepariu!

Rita Lavoyer disse...

Anderson e Márcia esse gigante está costumado com a mordomia. Estou cansada e juro que não acredito mais em nenhum político e nem nesta política, nem nos que virão! Palhaçada!

petuninha disse...

É mais do que lamentável o que vem ocorrendo em nosso país.Nunca pensei que um governo pudesse ser tão irresponsável, fazendo o que faz.

Não sabemos o que nos reserva o futuro.

Abraços.

Maria Carmem Velloso disse...

Acredito que não seja mais do que uma disputa pela permanência no poder. As trapalhadas, como sempre, o povo paga, nós pagamos.
Uma lúcida visão, Jorge.
Espero que você e o Caio, antigos colunistas do Vote Brasil, não terminem decapitados.
Bjs. Carmem

Célia Rangel disse...

Rita e Jorge! Compactuo-me com a Rita... faz tempo que ouço promessas... CHEGA!!

..."esse gigante está costumado com a mordomia. Estou cansada e juro que não acredito mais em nenhum político e nem nesta política, nem nos que virão! Palhaçada!"

Abraços.

Gilberto Cantu disse...

Olá Jorge.
Conheci seu blog através de outros blogs.
Muito bom o seu espaço.
Já sou seu seguidor.
Espero a sua visita ao meu.
Tens toda razão: o Brasil, o nosso país está passando por um momento terrível em suas leis, políticas e com representantes corruptos.
Não acredito em mudanças pelo voto.
Pois voltou o voto de cabresto. Só que agora não domina o votante pela força, mas pelo estomago. São as bolsas. Achas que alguém vai querer perdê-las?
Mudanças? Somente pela revolta popular.
Mas é como se fala: sou brasileiro não desisto nunca.
E viva a copa. A perda na copa poderá um estopim.
Um abraço

Mardilê Friedrich Fabre disse...

É estamos regredindo assustadoramente. Só não vê quem não quer. Abrs Mardil~^e