domingo, 18 de janeiro de 2015

E estratégia do Planalto

                

            Destituído de homens capazes na economia, o PT jogou a sua cartada, que acredita de mestre.
            Joaquim Levy, ligado a outros economistas competentes, todos da mesma turma que participou direta ou indiretamente do Plano Real, foi nomeado ministro da Fazenda muito a contragosto da presidente.
            Não havia alternativa: ou era alguém muito capaz, o que não existe no PT, repito, ou o desastre da herança maldita, deixada por Lula e ela mesma iria tumultuar o governo, quem sabe ameaçando sua queda por pressão popular, já que a vitória na eleição foi por margem muito estreita de votos.
            Levy não é tolo.  Sabe que a tarefa é difícil e já avisou que para este ano não haverá grande progresso.  A economia pode ser controlada, e só.  Vai crescer de acordo com a produção do país.  É interessante notar que o completo estrelismo da presidente sumiu.  Não abre a boca e permanece escondida, aguardando os resultados.  Vai permanecer assim até as finanças do país entrarem nos eixos. Só então voltará com a arrogância de sempre.
            Vai cantar vitória, naturalmente.  Que não é sua nem do seu partido, que se encontra esfrangalhado.  Agora, ao que tudo indica, vai perder Marta Suplicy, que deve concorrer ao cargo de prefeito de São Paulo.  Provavelmente, vai pedir auxílio ao governador Alckmin, virtual candidato a presidência da República.  Mais uma vez o PSDB está em cena, como no caso do ministro da Fazenda.
            Ao que tudo indica, o Planalto vai alardear vitória presidencial e petista, tão logo o país entre na normalidade. A presidente volta a assumir sua característica arrogância e tenta fazer seu sucessor.  Um golpe que a equipe financeira já sabe desde a posse.

            Anda feia a coisa.  Como se não bastasse o inquérito da Petrobras, cada vez mais ameaçador, a presidente agora corre o risco de uma revelação incômoda feita pela Suplicy, que nunca rezou na cartilha dos obedientes pacíficos, ao contrário. É dela a última frase que corre pela política nacional: “ou o PT muda, ou acaba”.  Nada pode ser mais certo. 

13 comentários:

Célia Rangel disse...

Usarão: "caminhão de mudança, caçamba, ou restará apenas cinzas no crematório?
Abraço.

Efigênia Coutinho disse...

É isso ai, quem viver verá! Grande postagem Jorge!
Abraços,
Efigenia

Caio Martins disse...

Jorjão, o buraco é mais embaixo... Como nunca tiveram projeto e planos de governo, só de poder, seguem usando os esquemas funcionais dos tucanos.

Pelo que dizem aqui no ABC, berço da abominação petralha, a Martox é a única opção para Sampa em 16. Diante da merda toda dos últimos doze anos a estratégia é "desvincular-se" do Planalto ou não terão candidatos. Marta e Dilma são a mesma coisa, com modelo e cor de calcinha diferentes...
Isso é "H"... A coisa tá mais pra manhas de cafetão manobrando putas de zona na briga por clientes.

Abração, manovéi! Tem muito mais coisas voando nos ceus que urubús de carreira... ]

Mardilê Friedrich Fabre disse...

Nenhum partido é eterno. Um dia eles morrem. Abrs

Celso Felício Panza disse...

Jorginho, meu velho irmão, aceito com prazer sempre seu convite para algo dizer em seu blogue,mas tenho agora por religião não falar sobre esse tema. POR QUÊ? De nada adianta, se for considerar,modéstia de lado, coloco no papel (E QUEM É COMPETENTE CONSTITUCIONALMENTE PODERIA FAZÊ-LO)o libelo que levaria um bom batalhão para o ergástulo, CADEIA, como popularmente conhecido. TUDO JÁ ERA POSSÍVEL,PAÍS SEM LEI, APÓS A PETROBRÁS, com as responsabilidades formais visíveis, desde o "caput", TUDO SE LEGITIMOU, INCLUSIVE O CRIME. Acabei falando Abraço. Celso

Rita Lavoyer disse...

Tenho comigo um palpite de que tudo foi, está e será durante bom tempo conveniente ao PT que, há muito, tem como manipulador Palocci, escondido, mas manobrando os acontecimentos. Affff!

petuninha disse...

Não suporto mais as mentiras da Presidente, que muda de cor como o camaleão. Se nariz crescesse,ela e o Lula seriam os maiores pinóquios do país.No discurso de posse. a Presidente disse que a Educação seria prioridade. Até falou que o lema de seu governo seria ""País Educador" Mas, na semana passada cortou 17 bilhões da Educação, que é um absurdo.

Carmem Velloso disse...

Muito bem feito, Jorge.
Estou estranhando este não ter sido enviado para o Pravda. Celso Panza pegou feio. Institucionalizaram o crime, embora ele use "legitimou".
Beijo. Carmem

Vera Fracaroli disse...

Amigo Jorge você é um homem de grande visão politica, não resta a menor dúvida!
Que estratégia usarão os mau feitores sem palavras e seriedade deste país.
Isto é mais uma armadilha da torpe.
esta tudo combinado, sofremos nós.
Suas postagens nos faz parar pra pensar.
E o desespero vem. Acreditar? Jamais.
Um abraço!

Manuela Mourão e Silva disse...

Acredito que esta estratégia só caberá
daqui á quatro anos.
Se não houver surpresas de um milagre acontecer.
E será a única saída mesmo.
Um grande abraço Jorge.
Que Deus nos ajude.

marcia disse...

Jorge,não muda.Falando portuguêz claro:a matilha perde o pelo mas não perde o vício...bjus

Anderson Fabiano disse...

Jorjão, foram tantas as tentativas (minhas) de melhorar as coisas, de acreditar nas mudanças, de crer num futuro menos injusto pra nossa gente... foram tantas as porradas, os insultos, hematomas, medos... o tempo acabou me ensinando que poucas palavras podem falar muito. Assim, NOJO!
Não sei se o Grande Arquiteto do Universo me concederá a graça de ver essa corja atrás das grades. Sigo acreditando.
Meu carinho,
Anderson Fabiano

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Eu sonho com o dia em que esses dejetos humanos, desse maldito partido batedor de carteiras, desça a rampa do poder para nunca mais voltar. Pra isso, contemos com a Ira Divina. Porque da justiça dos homens não se pode esperar grande coisa... Abraços, Jorge.