sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Castigam o Brasil



            Nosso país, que aprendemos no primário ser o lugar do futuro, ainda se encontra travado pela politicagem.
            Há poucos anos, num espaço indeterminado que não se sabe bem se no governo Lula ou Dilma, ocupávamos destaque internacional, as finanças se encontravam sob controle, e o crescimento era considerado muito bom.
            O poder corrompe, tiraniza e passa a se apoderar do que não é seu.  Éramos então, na época, a sexta economia do mundo.  Um lugar invejável, é bom que se reconheça.  Mas o trabalho que vinha desde Pedro II, agora colhendo os frutos, foi interrompido por dirigentes que nada conhecem sobre a condução de um país.  Preocupados em aparecer, dedicaram-se ao social, mas também sem conhecimento.  O resultado só poderia ser um: o desastre.
            Lula estava certo que era um privilegiado pelos deuses das nossas religiões de procedência africana.  Iluminado, inteligente, acima do bem e do mal, senhor da terra, da água e do céu.  A sucessora Dilma, procedendo como inspetora de disciplina de colégio particular, muito incipiente no trato com a coisa pública, terminou por dar o tiro de misericórdia no país ainda com vida.  Permitiu que fossem praticados vários crimes de responsabilidade fiscal, e terminou embaraçada em crime comum mesmo, como a dilapidação do patrimônio da Petrobras.
            O país se encontra em frangalhos, para alegria dos estrangeiros que estavam sendo massacrados.  É a vingança que tanto esperavam.
            O declínio é brutal.  Inflação, falta de empregos, preços altos dos combustíveis e energia elétrica. Agora com a greve dos caminhoneiros, ameaçando toda uma sociedade que necessita de alimentação, por exemplo. É preciso tomar consciência, antes de tudo, que governos não se improvisam.  Eles devem seguir uma linha de determinação estabelecida.

            Governar não é para amadores.  É necessária experiência anterior, inclusive incluindo dificuldade.  Chegamos a um ponto que ninguém e capaz de dizer como se arruma a casa outra vez.  Males que não existem no parlamentarismo.  

9 comentários:

Caio Martins disse...

Assim que o Poderoso Molusco foi eleito na primeira vez, alertamos em vários artigos que chegaríamos ao que aí está.
Chegamos. A ameaça de uma guerra civil é patente, e se de um lado temos um exército de mercenários locais e estrangeiros treinado pelos cubanos e armados pelos venezuelanos, não sabemos quem ou o quê os confrontará. É ruim, hein?

Celso Panza disse...

Jorginho, dileto irmão que sempre me convida para prestigiar seu prestigiado blogue. Só discordo de que o cidadão chamado de inteligente e iluminado incorpore essas qualificações. Tenho ogeriza de declinar esse nome, asco. Digamos que pelas forças do meio trabalhista, e nessa condição e razoável liderança, chegasse, por circunstâncias alheias à vontade do agente, como conceitual em crimes tentados e analogicamente, paradoxalmente, atingisse o resultado. Consumou-se a calamidade, para nosso infortúnio, a burrice começa em gênero, número e grau desconhecidos, com confissão que nada consegue ler, disfunção pura, e mágica chegar on de chegou. NÃO É INTELIGENTE E MUITO MENOS ILUMINADO, dizer quem arruinou algo, ruína profunda, que defende aquilo que foi arruinado. É idiotia máxima e atentado contra a lógica comezinha, cômico. Só idiotas trabalham com hipótese diante da evidência que configura certeza no cenáculo da lógica. Hipótese é aquilo que não é, que seria, se fosse, em lógica pura. Mas o retrato caótico que vc fez é realidade, o motor da economia é a energia, que tudo impulsiona, e ela está mostrando como se desdobrarão seus custos, preços de tudo sendo raiz do curso econômico. Abraço. Celso

Mardilê Friedrich Fabre disse...

Inteligente a tua crônica. Não gosto muito de ler sobre política. Mas as tuas considerações são claras e parecem-me pertinentes. Parabéns. Mardilê

Carmem Velloso disse...

Não só estragaram o país, Jorge.
São arrogantes e presunçosos. O idiota do Lula está esperando "o exército de Stédile". Quer a guerra civil num país que é a sétima economia do mundo. Um cego político, enfim. Vai acabar assassinado, não tenha dúvida.
Beijo.
Carmem

Anderson Fabiano disse...

Jorge querido, sinto-me sem forças. Todas as porradas recebidas nas décadas de 60 e 70 parecem-me, agora, inúteis.
Enquanto correr sangue nas veias, vou lutar mas devo admitir, companheiro: estou com vergonha... sinto-me um idiota por haver defendido nosso país tantas e tantas vezes...

... sei lá...

Meu carinho,
Anderson Fabiano

Rita Lavoyer disse...

A esquerda carnívora e herbívora ainda têm muito para regurgitarem sobre nossas cabeças. Essa corja desmerece de nós brasileiros o que nunca, jamais souberam o que significa 'DEMOCRACIA"- prepotentes e senhores de uma ditadura escancaradamente às escondidas que não engana mais, cuja carnificina viscerais transborda da boca do bocal em desespero que saiu do esconderijo e que ameaça usar o "exército de Stelid" para incitar uma guerra civil? - o que esses malfeitores não trazem nas mangas contra o povo?? A potência que esse povo tem em promover o mal é muito grande. Dá para acreditarmos que estamos seguros e não acreditarmos que nas ruas , em 2013, não foi esse "exercito" incitado por esses verdugos que destruíram patrimônios só para terem o prazer de rirem do povo?? Dá para acreditarmos nessa espécie de governo que putrifica o Brasil em nome da ganancia, do poder, e do ódio!?

Jorge, estou meio sem assunto pra comentar essa situação. Perdoe-me.

marcia disse...

Jorge,o que me deixa espantada e ver aquele Poderoso Molusculo (plagiando seu amigo Caio) continuar insuflando o povo parecendo um possuido...bjus

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Ah, meu caro Jorge, como eu sonho em ver Luladrão e Dilmaracutaia, aquela Marlene Matheus demoníaca, tendo o castigo que merecem. Mas, deixa estar. Não havendo justiça dos homens, tem a Ira Divina que vem lá de cima. Abraços.

Mardilê Friedrich Fabre disse...

Também sonho com o parlamentarismo. Será que algum dia chegará a vez do brasil?