quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Eleições

            

            Encerram-se definitivamente as eleições municipais de 2016.
            Foram importantes?  Sim, muito importantes.  Mas uma criteriosa análise deve ser feita, sob pena de erro grave.  O grande e maior derrotado foi o PT dominado por Lula, o homem que se julga acima do bem e do mal, e um estadista. 
            Ninguém, acredito, jamais imaginou que estivesse montada uma máquina de dominação do povo, além de promover falcatruas acima de qualquer pensamento normal.  Os governos petistas conseguiram arrasar a sexta economia do mundo, e praticamente falir uma companhia de petróleo.  Segundo os entendidos, o melhor negócio do mundo é uma petrolífera.  O segundo melhor, uma companhia de petróleo e, afinal como terceiro negócio, aparece o comércio e a exploração do mesmo material.
            Pois muito bem.  Depois de escutar o que dizem os homens de negócios do mundo, os governos Lula e Dilma, com a corrupção, comprometeram seriamente uma companhia destas, causando estragos que vão exigir muito trabalho para a recuperação.  Toda a cúpula do partido sabia das irregularidades e nada fez para evitar o desastre.  De outro lado, raríssimos eram os contratos feitos que envolvessem obras públicas que não envolvessem irregularidades, corrupção.  Encontram-se sob investigação judicial.  Nunca a Polícia Federal fez tanto trabalho, pelo que se tem notícia.
            Consequências: impeachment de Dilma e fragorosa derrota política do PT, em todo o Brasil, nas eleições municipais deste ano, 2016.  A única capital que elegeu prefeito petista foi no Acre.  O PT, 1° colocado nas eleições de 2012, passou direto para a vexaminosa posição de 11° nestas últimas votações de 2016.  Política é assunto sério.  Não comporta incompetentes e analfabetos, como no caso dos últimos presidentes petistas. 
            O povo repudiou os candidatos de extrema esquerda, uma sabedoria.  Ela é igual a sua suposta adversária, a extrema direita.  Ambas imbecis, politicamente.
            Vamos aguardar anos futuros.  Que nosso país não caia mais nas mãos de aventureiros; a memória popular costuma ser curta.    

15 comentários:

Tais Luso disse...

Não é que a cúpula não sabia, ela (a cúpula) foi a causa do estrago, o algoz da demolição, do cancro incurável. Se houver reparação será daqui a muitos anos - o que não acredito. No Brasil, os políticos (com alguma exceção) são como cupins, colocamos veneno de um lado, eles aparecem do outro! Mas não largam o armário, ou seja o que for, até a demolição completa.
Pobre de nós...

Abraços, amigo Jorge.

Celso Felício Panza disse...

Uma crônica dentro de sua crônica. Pediu comentário e o faço. É preciso acumulação de informação econômica e histórica bastante simples para saber qual a extensão do problema brasileiro. Ele é imensamente grave. Por quê? Por nunca ter passado por descrédito tão gigantesco para ser um país que obtenha investimentos. Ninguém investe em nada que possa ver seu capital desviado, apropriado indevidamente, onde os custos da corrupção tirem formidáveis e gigantescos nacos do dinheiro que foi investido. Eu mesmo, de minhas economias como Consultor Jurídico investi para minhas netas um pequeno capital, razoável, faz dez anos, ações da Petrobrás, já realizei o passivo, dei como perdido, desisti de possível recuperação, perderam elas praticamente tudo. Quem sabe perderam estudos no futuro, por isso imobilizei em ações da Petrobrás. Imaginem grandes investidores que arguem as perdas inclusive em tribunais fora do país se vão investir por esses lados.

Ouviu-se desde muito a situação difícil do Brasil, monitorado pelo FMI, ajudado por órgãos internacionais em suas dificuldades econômicas, com inflações inimagináveis, digamos, por péssimas administrações, com suas falhas e também acentuada corrupção. Mas nada nunca igual ao que agora se viu, como dizem todos, qualquer tampa que seja retirada, destampada, pública, com interveniência política, lá está a corrupção.

Agora a Embraer punida com números maiores que seu lucro de mais de ano e meio faz acordo para cerrar processo onde reconhece ter participado de corrupção para negociar venda de suas aeronaves.
E vejo dizer que é assim mesmo, assim que a roda gira, a corrupção faz parte do sistema. Penso que vivi e aprendi um pouco de sistemas para nada. A mola de crescer seria justamente o mecanismo que faz decrescer e traz descrédito, a corrupção. E deve ser tolerada...

Mas não estou sozinho no que penso, reitero a fala de um constitucionalista, sic:
O Ministro Barroso, em meio a seus alunos, recentemente, expõe com singeleza, ampla simplicidade para ouvintes estudantes, a realidade, nesses termos:
“A política morreu. Porque nós temos um sistema político que ele não tem O MÍNIMO DE LEGITIMIDADE DEMOCRÁTICA. Pela razão que já vou dizer. Ele deu uma CENTRALIDADE IMENSA AO DINHEIRO e à necessidade de financiamento. E se tornou um espaço de CORRUPÇÃO GENERALIZADA. É... quando... tô falando aqui num ambiente acadêmico, como se estivesse falando com meus alunos. Quando, anteontem, o jornal exibia que o PMDB desembarcou do governo e mostrava as pessoas que se erguiam as mãos, eu olhei e eu disse: ‘Meu Deus do céu! ESSA É NOSSA ALTERNATIVA’. Não vou fulanizar, mas quem viu a foto sabe do que eu estou falando. Portanto, o problema da política, nesse momento, eu diria, é a falta de alternativa, quer dizer, NÃO TEM PARA ONDE CORRER. Isso é um desastre”, afirmou o ministro.

Mas o investidor assiste a tudo, retirou capital de investimento produtivo e outros não entram, não têm coragem de investir. Falta a credibilidade que se tinha antes no PAÍS DO FUTURO.
E o tal “giro” continua o mesmo.
Temos uma política profissional, e política não é profissão, mas uma entrega para servir à coletividade. Se transformou no Brasil em “CENTRALIDADE IMENSA AO DINHEIRO e ...... espaço de CORRUPÇÃO GENERALIZADA”; como enfatizou o Ministro.
Não se aprovam medidas por necessidade social, como o “ajuste votado e aprovado”, cargos devem e continuam a ser distribuídos, como na Caixa Econômica. Seriam cargos de mera escolha política, uma distribuição para distribuir? Ou são realmente técnicos, ao menos. Falta credibilidade... E não vejo nenhuma liderança política que possa tirar o Brasil desse estado de descrédito. Abraço.

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Esse partido maldito e seus integrantes mal-intencionados estão colhendo o que plantaram. E, pelo jeito, a colheita está apenas começando...

Rita Lavoyer disse...

Bem, vou pegar carona no comentário do Marcelo Sguassábia: o povo colheu muito antes as maldades que eles plantaram . Os desse partido, colherem o que plantaram- ainda que lhes seja danoso, ainda não é um milésimo do que merecem de fato. E não são somente os malfeitores desse partido não, em todos os partidos há malfeitores de mesmo calibre.

Carmem Velloso disse...

Concordo, Jorge. Mas acrescento que entendo um erro Dilma manter seus direitos políticos. Ao que tudo indica, o chefe vai enfrentar uma dura e não curta pena.
Interessante a ressalva da sua amiga Taís Luso, quando diz que os cupins se mudam, mas não largam o armário.
Beijos. Carmem

Célia Rangel disse...

Jorge!
Estou diminuindo minha bagagem...
Incrédula... Desmotivada... com essa corja toda e, sem opção transparente de caráter e dignidade que me represente, faço valer um direito: - o de não mais eleger ninguém! Posso estar errada, mas minha indignação é muito grande, pois minha luta democrática ética, vem desde a década de 60 ... Portanto, aos 71 reservo-me o direito de ficar no observatório.
Abraço.

Gil Façanha disse...

Diante de tudo que foi dito por todos acima, nao tenho nada novo a acrescentar. Descrédito, falta de opção, preocupação...são as palavras de ordem nesse momento que o país está vivendo.

Caio Martins disse...

Muito bem, Jorge! Curto, grosso e direto ao ponto. Gostei! Abraço...

Zilani Célia disse...

OI JORGE!
E O QUE SOMOS NÓS, INOCENTES OU IDIOTAS? OS ELEGEMOS E OS MANTIVEMOS COMANDANDO NOSSO PAÍS E NOS LEVANDO A DERROCADA.
ACHO QUE HOUVE UMA RESPOSTA NAS URNAS, MAS NÃO SEI ATÉ QUE PONTO ESTAMOS LIVRES DELES POIS, COMO BEM O DIZES NOSSA MEMÓRIA É CURTA.
ABRÇS

http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Suzana Heemann disse...

Vargas Llosa fez um pronunciamento dizendo que o governo Lula foi a fonte da maior corrupção da história brasileira.Esperamos que o Brasil aprenda com a experiência,esperamos que os brasileiros aprendam a votar.
Parabéns, Jorge, tua crônica veio a calhar!
Saudações.

Celso Panza disse...

Me alonguei antes, por necessário,comentário há de ser suficiente, e voltei. O problema não é votar, é em quem votar. Votar em quem no Brasil atual? Não é problema só de voto de "cabresto", já tirei muita gente de fila fraudando votação, preso, coisa velha,isto é velho. Não há em quem votar, uma quadrilha antiga com sucessão familiar programada. Somos reféns dessa maldição. Os atuais mandantes eram cúmplices do que foi impichado. Que todos estejam nas barras dos tribunais. Será possível? Vimos ontem um "Ministro" do STF pedir vista para "sentar em cima" do processo, e se não fosse o decano Celso de Mello não teríamos a tese vencedora, embora inexequível, de que na sucessão presidencial não estão habilitados quem responde processo penal. Estamos na americalatrina, só e felizmente não somos uma Venezuela, era o que queria essa quadrilha.

marcia disse...

Jorge como disse:O povo repudiou os candidatos de extrema esquerda, uma sabedoria.Agora, falta fazer o mesmo na direita ...direito...bjus

Mardilê Friedrich Fabre disse...

Pois eu penso que a grande derrotada foi a política com tanto voto nulo e branco. E aqueles como eu que não precisam mais votar e não o fizeram. Eu me pergunto por quê. Se houvesse candidato bom, as pessoas votariam. Mas, esperemos para ver no que vai dar tudo isso.

Celso Panza disse...

Jorginho, cria-se um espaço inserido no seu espaço, informativo portanto, e útil, diante da reserva maior humana tão violentada, a política. Nações civilizadas têm voto facultativo,maior expressão da liberdade da ficçaõ chamada democracia. Se não tenho quem me represente não vou ao sufrágio eleitoral exercer escolha, não me deram escolha os partidos. Não voto faz anos e fiz inúmeras eleições. Coerção - obrigação de votar - é violência em direito civil como obrigação de votar. Voto não é dever, é direito, e ninguém é obrigado a fazer ou deixar de fazer algo ou alguma coisa senão em virtude de lei, é assim na Constituição , direitos e garantias individuais, e ela mesma quer obrigar o exercício da não-liberdade.O maior bem humano é a liberdade, maior até do que a vida,pois vida sem liberdade não é vida. Um escárnio como tudo no Brasil, voto obrigatório. A política não foi derrotada e nunca será, o homem é um ser político, está inserido no sistema representativo, é embrionário, e vive a "politica da maioria" boa ou má, quase sempre má, não só aqui,mas no mundo. Um dos países que dita "democracia" e por nós copiado em tudo, até na escabrosa fórmula da reeleição, tem gigantesca abstenção, os EUA. Na biografia do homem passeiam o bem e o mal, e como disse quem embora vetusto está na moda, filósofo, e "gosto" tão pouco que não cito o nome, o bem é o mal, em questão de sobrevivência prevalece o mal e o mal é o bem para essa cabeça "desregulada" e célebre. E democracia não existe, governo do povo, há uma proporção de representação somente, onde não figura parte, mas a maioria, e a maioria não é o povo, é parte do povo, por isso as minorias têm privilégio em iniciativas legislativas por garante constitucional. Política é arte e ciência, não profissão e fraude como ocorre desde os primórdios no mundo. Não há nenhuma novidade no que se assiste,o Senado Romano acharia graça desse jardim de infância que é o Brasil em fraudes partidárias. Coraria de vergonha por tanta ineficiência. Abraço.

Mira Margarido disse...

Você dá uma visão ampla de todo o contexto politico de nosso país. Saliento ainda, amigo Jorge, que o PT só ganhou aqui no Acre porque a população votou na pessoa e não no partido. Pois, o prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre é um jovem rapaz, ele não tem mais que 38 anos; foi reeleito por ser um prefeito comprometido com a comunidade;não é prefeito de gabinete, acompanha as ações de perto, na rua, junto com o povo. O governo do Acre também é do PT, e para o Acre, os governos Lula e Dilma foram muito benéficos ao desenvolvimento de diversas áreas no estado. No entanto, não diferente do restante do país, o PT também caiu muito aqui no Acre e a decepção é grande. Abraço.