segunda-feira, 15 de maio de 2017

Procura difícil

                                        

            Era realmente uma procura difícil.  Muitos tentam.
            Sentado em frente ao mar aberto, tempo frio, a varanda da sua casa modesta, mas nada pobre em beleza pura, aquela que você encontra nas pessoas simples que sabem planejar sua casa, o homem pensava.  Havia trazido para fora, e colocado numa mesa da varanda, um arsenal que não faltava entre suas coisas.  Um laptop, seu celular, pois ter que sair dali, naquele entardecer avermelhado para atender a alguma chamada no telefone da casa seria sacrilégio.
            Estava sozinho, a mulher não demoraria a chegar, médica chamada às pressas para confirmar ou não um caso de provável pneumonia.  Nem sempre isto é possível sem exames complementares.
            Sem dizer uma palavra, levantou a gola da velha japona, companheira de muitas jornadas.  A outra, já gasta, estava no seu armário, junto da mochila, cordas, mosquetões e outros apetrechos de escaladas e montanhismo.  Não, não estamos diante de escalador famoso, montanhista de renome.  Gostava de grandes picos da serra dos Órgãos, conhecia todos e o das Agulhas Negras também.
            Então, qual o motivo da casa em frente ao mar-oceano, o que não tem fim, o grandioso que domina quase toda a Terra?  Não, nem ele mesmo sabia.  Ninguém sabe, com toda certeza.  Talvez a visão de que nunca acaba, o horizonte encontra-se com o céu, possa ajudar a explicação.
            Tinha idade suficiente para procurar a destinação da sua vida, esta curiosidade que afeta todos nós.  Você abre os olhos e vê o que cerca, presta atenção ao tempo e escuta o barulho da existência, o farfalhar das folhas, o quebrar das ondas.  É presente, aqui e agora, e sonho, do qual a Vida nunca foi apartada.  Vivia por qual motivo?  O primeiro, evidente, é que era fruto de um parto.  O texto, parece, continua sendo mistério.  O canto dos pássaros, a beleza das matas, o mistério dos mares, enfim, o encantamento de tudo.
            O amor.  Este é o mais profundo e sentido mistério que nos cerca.  Para ele não possui o homem definição exata.  Sente-se, é tudo.
            E a gente, boa quantidade  incrédula, infantil e desnecessária, continua procurando, procurando...

10 comentários:

Carmem Velloso disse...

Mudou, Jorge? Bem, tem este direito. Eu vivo e sigo em frente. Não me preocupo se viver, ou entender a Vida, é difícil! O mais interessante é que você escreve isso com a maior facilidade...
Beijo
Carmem

Caio Martins disse...

Grande Mestre Jorge! Gostei! É um texto límpido e essencialmente delicado, como os mais puros cristais, artesanalmente lapidado. Abração!

Célia Rangel disse...

Olá, Jorge!
Eu não desisto dessa "Procura difícil", pois a mesma energiza-me!
Ver esse banco numa tela outonal, vazio, nos diz muito...
..."E a gente, boa quantidade  incrédula, infantil e desnecessária, continua procurando, procurando..."
Abraço.

Sandra Xavier disse...

A vida é mesmo uma eterna procura por satisfação, seja ela qual for.
Muito bom seu texto.

Tais Luso disse...

Depende... tem gente que, com a maturidade encontra o que busca. Não é o fato de procurar, de suar a camisa perambulando pelos cantos do mundo que nos deixará mais felizes. O difícil é saber o que vai nos tornar felizes! Aí estão centenas de equívocos. Atitudes, quiçá, equivocadas. Uns andam o mundo e voltam de mãos vazias; outros ficam onde estão e repletos de felicidade.
Nada mais perfeito do que a paz de espírito e o amor. Fiquei imaginando o mar, a linha infinita do horizonte que eu olhava desde pequena para descobrir o que havia lá... Felicidade é simples, está em nós. Fazer o quê com tantas ofertas?

“Minha mãe achava o estudo a coisa mais fina do mundo; a coisa mais fina do mundo é o sentimento”. (Adélia Prado)

Beijo, meu amigo.

MARGA disse...

Querido amigo!

Desde que nascemos buscamos a felicidade, crescemos, amadurecemos e ainda sim estamos esperando por ela.
Seu texto vem com a leveza de um ser que vê a vida quase assim. Pois sabe que nem tudo é flores... Isso é o que a nossa maturidade nos da. Nada acontece em nossas vidas por acaso, tudo é aprendizado, a felicidade penso eu, esta em tudo e em todos...
Cabe a nós senti -la . Mas isso é de cada um! Na Alegria ou na tristeza sempre levamos felicidade ao outro, um gesto de carinho, um afago é um balsamo. Texto lindo... de palavras claras e bem definidas.

Agradeço! Pelo convite,gosto da sua inteligência de vida vivida.
Beijo!

Anderson Fabiano disse...

Somos todos filhos das estrelas. Estamos aqui para reaprender a amar, evoluir e depois voltar para casa.

Belo texto. Delicado como o amor que permeia cada palavra que lhe confere forma.

meu carinho,
Fabiano

Eduarda Krass disse...

Reflexões atrás de reflexões. Clareza na exposição das mesmas, sua característica, meu caro Jorge. Um precioso texto!
Beijos, querido amigo.
Duda

marcia disse...

Tem razão quando diz'Sente-se,é tudo' bjus

Rita Lavoyer disse...

Jorge, quando leio seus textos, vejo-o no universo em que cria. a imagem é tão real.....