terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Sinfonia de roseiras















       Desde moço gosto de mexer com roseiras, plantando ou cuidando.
         É um trabalho que dá prazer, de tempo em tempo afofar a terra com cuidado de machucar as raízes, molhar pouco durante os dias mais frios, mas não esquecer de despejar boa água no seu caule junto ao solo, quando Sol ainda não está direto no canteiro.
         Tenho poucas. Cinco. Gosto mais da rosa chá, que plantei de galho quando fazia uma poda. Linda, mas com cheiro muito discreto, são silvestres. 
         Muitos dirão a causa de estar contando isto. Simples. As roseiras disputam entre si qual a que vai se sobressair. Nesta batalha, uma sinfonia de roseiras, quem ganha é você.
         Hoje mesmo fui presenteado por uma linda rosa chá, que eu plantei. Interessante que não é data que me lembre acontecimento algum.
        

        Mas no meu aniversário, vem surpresa!

18 comentários:

Rita Lavoyer disse...

Certamente! No seu aniversário virá uma surpresa, seja de uma borboleta, de uma abelha ou qualquer espécie que queira retirar da sua flor do seu néctar.
Você é doce, Jorge! Por isso as rosas gostam de você.

Gil Façanha disse...

Adoro rosas e saber desse teu carinho com elas, faz com que eu admire mais a tua sensibilidade. Um abraço.

Sandra Botelho disse...

Somente os bons de coração veem com os olhos da alma, e gostar de rosas é um dom dos sensiveis e especiais. Parabens, tbem amo rosas.
Bjos achocolatados

petuninha disse...

É delicada uma crônica que fala de rosas. Revela sensibilidade de quem a escreve. Esta flor é beleza e delicadeza.
Adoro rosas mas de uns tempos para cá não tenho tido muita sorte com as mesmas. Deixei na casa que morei há algum tempo uma roseira champanhe carregada de flores, belíssimas e perfumadas. Quando lá voltei havia sido cortada no toco. Motivo dado: -"Podia espetar o cachorro"!!! Doeu profundamente. Aqui onde moro, meu cachorro fox paulistinha desassossegado pulou muitas vezes por cima da muda que crescia até acabar com a mesma. Mas, não vou desistir.
Jorge, parabéns por tua bela crônica!!! Gostei muito.

Parole disse...

As rosas são agradecimentos da natureza pelo carinho cultivado.
Minha avó adorava rosas e em seu jardim tinha rosas vermelhas e cheirosas... lindas de viver.

Um encanto teu texto... Gosto muito de vir aqui.

Beijo e ótima semana.

Caio Martins disse...

Grande Jorge Sader... Fico feliz em saber que suas roseiras seguem lhe retribuindo o carinho que lhes dedica, com generosidade. Parabéns pelas rosas, e pela crônica.

Carla Diacov disse...

sangra que é uma beleza...
pra tudo que é lado...
pra tudo que é dor...sangra.
e é o que interessa, não, Jorge?

não é bem assim?

Roseiras, amores...
sinfonias das vontades desmedidas de mãos, como as nossas...

mãos são comandos-corações insistindo em jardinagens, não!


lindo.

lino disse...

Eu tenho muita pena não poder fazer o mesmo, mas vivo num apartamento. Talvez venha o tempo...
Abraço

Ana Maria Pupato disse...

Muito bom ler o seu carinho com as rosas. Adoro rosas e tenho 4 em casa, mas a que mais gosto, que é a rosa-chá, não tenho. Muita sensibilidade no seu texto simbolizada pela rosa somada ao requinte.
Beijos mil!!

Rosana disse...

Olá...Agradeço muito, de verdade, por me dar a oportunidade de lê-lo hoje. Concluo que realmente algo diferente ocorre aí dentro de você. Quando somos retribuidos pelo carinho da natureza é porque merecemos este presente que ela nos oferece. É porque seu coração transmite aquilo que ela realmente precisa para florescer. Não basta afofar a terra, cuidar, mas é preciso algo mais e isso pelo jeito você tem de sobra. A tua maneira de escrever me enternece e deixa o meu dia mais bonito. Amei seu texto, Jorge. AMEI!!! ( Por incrível que pareça, escrevi algo parecido certa vez, mas sobre as minhas orquídeas. Vou achar e te mandar.) Beijooooooooooooooooooo

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Sim, amigo Jorge. As rosas mandarão flores em retribuição a tudo o que você faz por elas! Abraços.

Marcia disse...

Pura ternura....bjus

Sandra Botelho disse...

Vim deixar-te um beijo e um chocolate
Bjos achocolatados

Blogat disse...

Segue o teu destino,
Rega tuas plantas,
Ama tuas rosas.
O resto é a sombra
De árvores alheias.

...para vc,Jorge, só Pessoa!
Bj

Zélia Guardiano disse...

Lindeza!
As rosas sabem escolher...
Abraço.

Mardilê Friedrich Fabre disse...

Gosto de rosas, de todas as cores. Não conheci meu avô paterno, mas, segundo meu pai, era um exímio cultivador de roseiras. Sempre que vejo um lindo ramalhete de rosas lembro dele. E hoje leio esta tua crônica. Fui tomada pela emoção das lembranças. Tuas crônicas fazem isso comigo sempre me trazem lembranças. Claro que este teu blog vai para os meus favoritos.Obrigada pelas palavras de carinho e de incentivo. Abrs. Mardilê

Mari Amorim disse...

"Sorria para a vida,encante-se com ela,trate-a com respeito
E com carinho.Conquiste-a com teu sorriso.Ela também
Sorrirá para você.O sorriso alegra,liberta,aproxima,contagia,
Provocando um mundo de alegria".(Mari Amorim)
Essa é minha mensagem para que você tenha uma nova semana cheia de boas energias e luz!
um abraço

Teresinha Oliveira disse...

Te encontrei por acaso, gostei das tuas rosas, e decidi ficar. Também já tive desses amores, mas encontrei-as já plantadas na casa nova; muitas e de diversas cores. Uma lilás, inclusive, coisa rara e estrangeira, que aborrecida com os trópicos, logo se foi.
E tanto me feriram os dedos, e me sangraram- talvez por meu sem jeito de tocá-las- que delas desisti.
Passeio agora pelo meu jardim de margaridas e onze-horas, florzinhas bobas, é verdade, mas que não me podem ferir. Um abraço.