quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Sites de literatura












            Quando lancei um artigo falando sobre a procura de outros sites para postar, fiquei com fama de traidor e antipático entre muitos.
            Entre todos, de jeito nenhum.  Assim é que lendo Rubem Fonseca no Portal Literal, hábito que tenho para ficar atualizado com o que está se passando de novo, pois as informações existem, e site onde escrevem ganhadores do Prêmio Camões, o maior da literatura em língua portuguesa e acadêmicos da ABL tem que ser respeitado, depois de fazer minha costumeira leitura, fui dar uma olhada nos candidatos.
            Não foi propriamente um susto, mas fiquei admirado quando vi nomes de quem aqui escreve.  Li com atenção.  Tenho poder de voto e queria exercê-lo.   Todos eram bem razoáveis, exceto alguém que escreveu demais.  Passei por cima e apenas comentei, dizendo o fato narrado.  ‘Escreveu muito. ’
            Quando alguém quiser ser publicado no Portal, seja direto, use frases curtas e não se alongue.  Caso contrário o credenciado a votar desiste de ler, salvo se o assunto for muito interessante.
            Cuidado com as poesias.  As que vemos repetidamente, são recusadas.  Se você não conhece poesia tradicional e a contemporânea, é melhor que não espere ser publicado.
            Disse que fui mal entendido por muitos.  Hoje Esther Rogessi, conhecida por todos, faz um comentário no meu primeiro texto dizendo que não abandona o Portal Literal de forma alguma, e tem muitas publicações no requintado site.
            Zuenir Ventura, Lígia Fagundes Telles, Ferreira Gullar e Rubem Fonseca têm o seu espaço certo.  Nós que podemos ser recusados, temos o nosso.
            Como Rubem gosta de dizer, cana dura.  Mesmo os que podem votar, se não alcançarem um mínimo de vinte votos, tentem novamente.
            Tudo isto, não quer dizer de jeito nenhum que evitem os sites comuns.
            É pensar pequeno, o tentar impedir o autor de ampliar seus horizontes.
           

13 comentários:

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

É isso, amigo Jorge. Cada qual com seu espaço. Ou seus espaços, tanto melhor. Bom e lúcido texto, meu caro. Abraços.

Leonardo B. disse...

[como sempre, amigo meu... vou com "uma pedra" por bagagem: o melhor remédio por vezes amarga, mas esse o que melhor cura... se houver algo a curar!

Ah, dessa "pedra" da qual não deveríamos apartar, a reflexão...]

Com admiração e respeito,
Um imenso abraço,

Leonardo B.

Gil Façanha disse...

Passando pra conferir tua personalidade forte e segura, em mais um post. Parabéns. bjs.

lino disse...

Fui dar uma olhada e vou voltar aos sítios dos 5 grandes autores. Publicar não é para mim.
Abraço

Lílian Maial disse...

Como sempre, lúcido e grandioso na tímida benevolência. Admiro vc, sabe? Seus pontos de vista sempre trazem alguma coisa nova.
Beijo carinhoso,
Maial

Marcia disse...

Jorge, você é sempre lúcido e objetivo no que diz sem perder a elegância ....bjus

Ana Maria Pupato disse...

Muito bem colocada a sua avaliação quanto à produção literária seja em que estilo for escrita. Fiquei interessada e vou ver com muita calma o site citado, que não conhecia.
Maravilha, amigo!
Beijos mil!!!!

Du disse...

Até hoje não entendi como Jorge não é best-seller. O homem escreve sobre qualquer coisa, melhor do que muitos consagrados.

Beijos,
Du

Caio Martins disse...

Jorge Sader tem as características essenciais dos escritores que merecem respeito: humildade e simplicidade. E exige uma condição, que é a liberdade de escolher onde publicará seus textos. É evidente que não terá a boa vontade nem dos que se atrelam na erudição estéril como escopo de produção literária, menos ainda dos que prescindem de dom e talento para transmitir suas criações e pensamentos.
Homem livre, pessoa realizada e sensível a paixões legítimas, não poderia senão incomodar os que se encerram em claustros e torres de marfim, como se eleitos dos deuses fossem. O caminho do nosso amigo não é um portal, por melhor que seja: é o mundo.
Forte abraço, Mestre Escriba.

Liège disse...

Não é sem mérito nem esforço que cada um conquista seu espaço. E o medo da crítica e de que alguém rejeite o que julgamos ser nosso trabalho mais precioso às vezes é maior do que o medo da morte.
É sempre prazeroso ler seus textos e considerações!
Um grande abraço.

Rita Lavoyer disse...

Eu gostaria de permanecer no seu espaço ou no seu site, como preferir. Se me permite, com licença... estou chegando...

Paula: pesponteando disse...

Vc é um cara de personalidade! E isso nos dias de hj é uma grande e rara qualidade.

abraços

Solange Gomes disse...

Carissimo Jorge,

Parabenizo seu espaço das letras e vos afirmo, que quem se alimenta a cada dia, apenas, com um grão de arroz traz sempre a alma ativa e nos honra com a elegância e a simpátia da criação literária em todos os estilos críticos do saber da boa literatura.

Abraços Fraternos,

Solange