quinta-feira, 14 de julho de 2011

Tempo















Tempo

Tempo de amar, com ternura
De meditar com alma pura
Se o que a Vida oferece
É sempre mais uma prece.
Tempo que vai e não volta
Que não precisa de escolta
Pra passar no campo molhado
De tanto o pranto chorado.

Vai tempo!
Diga a esta gente sofrida
Que é esta nossa vida,
Incerta e não sabida.
Diga também com calor
Que todo o meu ardor
É só um ato de amor
Nesta eterna subida.

18 comentários:

Ana Lucia Franco disse...

E salve o tempo que nos inspira a reflexões poéticas tão puras e significativas quanto esta! Lindo, Jorge, parabéns.

ღPat. Rochaღ disse...

Por isso devemos aproveitar a vida e o tempo ao máximo!

Lindo Poema Querido Jorge!

miriam panighel carvalho disse...

É, Jorge... Tempus Fugit! Nada mais certo do que viver o presente sem pressa, sem urgência. Saborear com calma cada bom momento, sorver esse mesmo tempo que parece ameaçador. Mas não é! Ele nos tira muito, mas quanto nos dá em questão de segundos!
Já reparou nisso? Lindo o seu poema!
Aplausos! Um abraço

Drisph disse...

Bravo!
O tempo, que a todo tempo passa sem tempo de nos olhar; olhamos o tempo, nos traços do rosto, na experiência e sabedoria...
Tempo sem regras, sem nome, sem tempo de parar...
Amei o seu poema, inspirador!

Rita Lavoyer disse...

Façamos do tempo um elástico. Quando eu não puder mais esticá-lo, enlaçarei o meu às pontas das lembranças; àquelas que eu pretendo tornar grandes e também àquelas que eu pretendo, apenas, acomodar nas fibras da elasticidade.

Eliana disse...

Por isso que devemos ter sempre tempo para fazer coisas boas. Como por exemplo: Passar aqui e lê entre outras coisas, este maravilhoso poema sobre o tempo! E tudo escrito pelo grande escritor e poeta... Jorge Sader Filho!


Parabéns Jorge, tenha um ótimo dia!!! Beijos

Liège disse...

Belíssimo poema, meu caro amigo!
Embora corra veloz e não volte atrás, o tempo parece ser uma inesgotável fonte poética e de reflexão.
Um grande abraço.

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Tempo... este recurso não renovável! O mais precioso de todos. Tempus fugit, mas que não escapou à sua verve lírica. Parabéns, poeta Jorge.

Mardilê Friedrich Fabre disse...

Jorge, bom ler-te em prosa ou poema. Tempo é uma dos meus temas prediletos , e esta tua reflexão muito apropriada. Abrs. Mardilê

lino disse...

Tempo dos punhais ensanguentados.
braço

Marcia disse...

Seu "Tempo" é terno e belo... bjus

petuninha disse...

Jorge!
O tempo está ligado ao significado da existência.
Dependendo de como o uso, ele pode ser-me ou não benéfico.
Aí está o saber aproveitá-lo, que é bem mais do que satisfazermos a todos os sentidos.
A imagem da maratona clareia em parte o que é aproveitar o tempo.
Um grupo heterogeneo ou não, parte do mesmo ponto, pelo caminho os resultados são diferentes conforme o empenho, esforço e const6ancia de cada qual.

Quanto ao teu poema, gostei, é muito bonito por todos os elementos que traz. Tem muito lirismo e sensibilidade. Parabéns!
Beijos da petuninha.

Espelho disse...

Brilhante versar sobre o 'Tempo' Poeta! Como sempre muito bom de se ler!
O tempo para nós que aqui nascemos e nada sabemos sobre ele é de ouro em relação a usarmos as nossas ações positivas. E nunca usarmos as nossas ações negativas porque serão retornadas para nós. E se já as criamos podemos resgatá-las doando Amor Incondicional. E se nos ligamos em nós mesmos nesta vida e na Vida Maior, a Natureza podemos ultrapassar o tempo se ainda tivermos tempo...
Um beijo
Mel Racional

cristinasiqueira disse...

Lindo e delicado,próprio dos sensíveis.
"Diga também com calor
Que todo o meu ardor
É só um ato de amor
Nesta eterna subida"


Lindo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Cris

Rosana disse...

''ATO DE AMOR NA ETERNA SUBIDA''...entre tantas frases verdadeiras e lindas, tem algo mais bonito? AMEI!

Eliana disse...

Oi Jorge, passando só para te desejar hoje, dia do amigo... UM ÓTIMO DIA DO AMIGO!!! Beijos meu amigo.

SOL da Esteva disse...

Jorge

"(...)Vai tempo!
Diga a esta gente sofrida
Que é esta nossa vida(...)
que Amor é muito Amar, muito dar e receber, muito esperar...

Lindo!


ABRAÇOS

sol

Maria Tereza disse...

Lindo poema! Uma arte expressar o inexorável com muita leveza!