terça-feira, 12 de novembro de 2013

Luz


                                      

 

Aurora que desponta no horizonte
trazendo tanta luz qual fosse fonte
de amor, compreensão, cândida harmonia
removendo das gentes a agonia.

Vai para longe a treva da malvada
ira, que faz terrível enxurrada
e tanto leva abaixo, vai destruindo
sonhos, ilusões, tudo o mais bem-vindo.

Mas brilha o Sol, a Terra se ilumina
¾ brumas cinzentas que antes envolviam
somem e a escuridão por fim termina.

Cantam todos, é grande esta alegria
despertando do sono que dormiam...
  A velha e escura noite fez-se dia!
                        



Postagem número 300.


                                            


16 comentários:

Vera Fracaroli disse...

Belo poema e grande inspiração, parabéns Jorge, sempre quando posso venho ler seus escritos.
Muito sucesso para você.
Um abraço!

Caio Martins disse...

Gostei, Jorge! Singelo e tem pegada... Forte abraço!

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Uma lição de otimismo em forma de poema. Grande Jorge.

Lílian Maial disse...

Que pudéssemos amanhecer nosso coração em cada aurora...
Beijocas, querido!

Ana Bailune disse...

E eu venho da velha e escura noite, para dizer-lhe e desejar-lhe um ótimo dia, Jorge. Lindo demais!

marcia lailin disse...

Como sempre
arrasando
Lord Sader

marciagrega disse...

A esperança, como dizem...é a última que morre. Portanto...vamos aguardar dias melhores!!!


Beijão

Rita Lavoyer disse...

Com um despertar poético desta grandeza, não há dia que não passe bem.

Efigênia Coutinho disse...

Olá Escritor Jorge, tenho admirado muito suas Poesias, sendo este na forma de Soneto, a obra clássica dos grandes Bardos desta arte maior! Meus Parabéns!
Efigenia

Tais Luso disse...

Forte, mas doce!
Nada como um poema para nos aliviar e encantar a alma.
Abraços!

Célia Rangel disse...

Driblando a minha noite velha e escura... contemplo em seu belo poemar, auspícios de uma nova aurora!
Abraço.

Maria Carmem Velloso disse...

"Não escrevo poesias" é o título de crônica postada por Jorge no Recanto das Letras.
Bela transformação.
bjs. Carmem

Marco Bastos disse...

As madrugadas têm o mérito de amanhecerem um novo dia a cada aurora. Boa hora de se trocar gerúndios por gerânios e ver o sol redondo pelas asas angulosas dos albatrozes. A prosa como a brisa, muda o rumo pra poesia. Parabéns, Jorge.

CELSO FELÍCIO PANZA disse...

"TRAZENDO TANTA LUZ QUAL FOSSE FONTE..."; perfeito Jorginho o enredo que traz essa fonte. Um festejo dos "trezentos" mais do que sobreexcelente, como dizia seu pai que deve estar muito feliz com suas produções. Meu abraço. Celso

Anônimo disse...

Que vá para longe essas trevas e que sejamos cobertos de Luz.
Você sempre nos presenteando com lindos escritos e fazendo com que nossos olhos e corações peçam mais...mais! Parabéns meu querido amigo e que tenha sempre sucesso em tudo que se propor a fazer.
Beijos

Anderson Fabiano disse...

300 vezes obrigado, meu irmão de letras!

Meu carinho,
Anderson Fabiano