quarta-feira, 18 de junho de 2014

O poder

    
 
            O poder atrai.  Ninguém desconhece este fato.
            Atropelada por uma onda de incertezas, com medo e acuada pela opinião pública, Dilma acreditou no que os verdadeiros donos da República lhe empurram goela abaixo.
            Governar por decreto, sem Congresso, o sonho de qualquer ditador ordinário.  Quem são os autores da ideia?  Tenho responsabilidade, não posso apontar nenhum.  Certamente Lula está de acordo, mas também é cego politicamente e não creio que faça parte deste time de malfeitores, já que a palavra ‘bando’ não é mais reconhecida.  Ele apenas gosta da ideia.
            Assinar e pensar que vai poder governar por decreto até não se sabe quando é uma temeridade.  Politicamente ignorante – tem cara disso – Dilma não foi capaz de perceber que nem mesmo Vargas, se estivesse no poder, tomaria tal atitude.  Sempre foi extremamente arrogante, mandona e bastante incapaz.  Não enxerga nada do delicado jogo que se chama política.  Ele é difícil mesmo.  Putin é um homem poderoso na Rússia.  Não de graça.  Com o fim da União Soviética, poderia sobrevir guerra civil sanguinolenta.  Como antigo diretor-geral da KGB, o coronel Wlado, com habilidade e mão de ferro, soube impedir que tal fato acontecesse.  A Rússia sobreviveu sem muita dificuldade a passagem de um regime político para outro diverso, graças ao homem que sabe jogar em tabuleiros difíceis.
            Obama entrou na presidência dos Estados Unidos também em momento difícil, interna e externamente.  Enquanto o problema social aborrecia o americano, a guerra no Iraque exigia um fim, ou uma solução que a abrandasse drasticamente.  O simpático negro e alto, elegante, conduziu as peças do complicado jogo de xadrez com maestria, e acalmou o protesto americano.
            Alguma alma maldosa cochichou com Dilma que seu destino pode ser histórico.  Talvez possa mesmo.  O exemplo Getúlio ainda está bem vivo.
            Em suma, a democracia plena impede que o executivo legisle, o que é ato de autoritarismo desmedido.  Interessante é que o presidente da Câmara dos Deputados ainda não tenha tomado providência alguma.  Aliás, nenhum chefe político tomou, sabe-se lá por qual motivo. O momento é tenso.
            Ainda manietada pelo ministério da Justiça, a qual está subordinada, a Polícia Federal clama por autonomia.  Não pode obedecer ordens de políticos, mas dos seus próprios chefes, a serem eleitos com regras determinadas.  Se algo ainda não aconteceu de mais grave no país, a PF é uma das responsáveis.  Seu serviço de informações é tão eficiente que nem mesmo se desconfia que ele exista.
            Quando esta séria irregularidade vai acabar, não se sabe.  Verdade que nenhum ato foi tomado pela presidente.  Mas nem por isso se pode cruzar os braços.
 
 

14 comentários:

Anderson Fabiano disse...

Jorjão,
O PT parece acreditar que o Brasil é feito apenas pelos ingênuos que ele conseguiu arrastar para as urnas em votos dados e outros tantos comprados. Mas, sua máscara moralista vem caindo ano após ano com a comprovação dos delitos cometidos pelo bando da estrelinha.
Lamentavelmente, o PT acabou se constituindo na maior vergonha para as esquerdas históricas do país e se revelou um partidinho igualzinho a qualquer outro, onde seus quadros só buscam o enriquecimento pessoal e o acúmulo de poder para barganhar seus interesses. Só esqueceram de uma coisa: ainda existem cabeças pensantes nesse país e a máscara vai cair a qualquer momento.
Estamos de olho!
Meu carinho,
Anderson Fabiano

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Irretocável manifesto, Jorge. De acordo!

Mardilê Friedrich Fabre disse...

Para mim, isso continua assim, porque faltam líderes. Abrs

Maria Coelho disse...

Bando da Estrelinha... Criativo! Mas criatividade tem mesmo o governo, que desconsidera o parlamento e o regime democrático, e inventa um decreto de transferência de poderes - através da implantação da Política Nacional de Participação Social (PNPS) e do Sistema Nacional de Participação Social (SNPS). Lembrei-me da "Revolução dos Bichos", não é que é assim mesmo que funciona!Parece que a vida imita a arte ou é o contrário? Abraço

Rita Lavoyer disse...

Hã! è o momento de ficarmos com os olhos abertos, uma vez que o vai e vem da bola nos campos pode hipnotizar grande parte da plateia que tanto cobra por mudança desse comportamento politico que impera no país. Pergunto-me o que está sendo tramado nos bastidores, por trás dessa festa futebolística pela que o Brasil passa. atentemo-nos para as estratégias e pelo fato de as providências ainda não terem sido tomadas.
Silêncio prolongado pode ser "problema" na certa. qual a estratégia e de quem??

Caio Martins disse...

Jorge, o nosso querido Papa Chico disse, ontem, que "os corruptos matam; a única saída é o arrependimento”... Humildemente discordamos: a única saída seria tão drástica que melhor não mencioná-la. Jamais se arrependerão, mesmo na iminência de perderem as própias cabeças...

Célia Rangel disse...

Quem cala... consente! E, o silêncio é uma linguagem poderosa. Que o tratamento a ser aplicado não venha de uma bula de remédio amargo demais, com sérios efeitos colaterais...
Abraço.

Nadir D'Onofrio disse...

O poder atrai e corrompe quem tem, falta de caráter!

O que,dentro do partido governante, essa qualidade deve ser, fator primordial, para ser admitido.


Jorge eu não posso crer que vivi, até os dias de hoje,

para ser obrigada a presenciar a situação, atual desse país!

Os governantes estão fazendo o que bem entendem na certeza da impunidade....

E quando temos alguém que tenta cumprir seu trabalho, dentro da lei, no caso o Ministro Joaquim Barbosa é motivo de criticas, ameaças, por quem deveria apoiá-lo.

Mais uma vez você expõe de forma clara averdadeira situação do nosso país,infelizmente.

Deixo aqui a notícia que li, ainda há poucos minutos.

Agora imagina se o Brasil for campeão.... o que esperar?

Tais Luso disse...

Olha, se o Brasil ganhar a Copa, a coisa vai continuar muito difícil; por outro lado, se perder não há quem segure. Com isso quero dizer que tudo é um mistério.
Estamos num ninho, é bom andar de perneira.

Abraços, jorge.

CELSO FELÍCIO PANZA disse...

Olhei ontem seu blogue e ia escrever alguma coisa sobre a última desses caras, mas não estou mais pretendendo falar em nada sobre política, intoxica mais, o que tentam é uma iniciativa genérica, conselhos são legais e existem, mas esse é escorregadio, (leio a lei quando quero saber o que se passa e vi muita coisa nos jornais sobre isso, fui ler), com hiatos de preenchimento posterior e propósitos claros de estabelecer consultas com força de representação a grupos de manipulação ligados ao “poder”, e já com esse destino para a casa civil. Consultas já temos, referendum e plebiscito, constitucionais, ambos institutos com iniciativas próprias e objetivos definidos.
Nada, contudo, que eles queiram para estabelecer rupturas pega, falo sempre, mesmo ruptura "mancata", comendo “pelas beiradas”, como exercido na Venezuela, como a de Gramsci, pois o xerife está aí, EUA, tem os olhos no mundo, e nós somos estratégicos, não somos “venezuelas, bolívias,etc”, qualquer coisa encostam a frota americana em Natal (tratado do atlântico-norte), uns dois ou três "barquinhos” e esses caras amarelam, como ia acontecer e estavam a caminho em 1964, e virou o que a gente nãoao queria, outra ditadura. Mas antes que algo aconteça tem a nossa reação, como agora - lembra da “constituinte exclusiva, específica” - isso vai acabar no Supremo. Um ex-ministro do Supremo diz o que acho, que temos uma Constituição que permite que o povo se manifeste e esse negócio de conselho popular e consultas talvez seja expediente para legitimar o que não é legítimo.
Abraço, Celso. Resolvi colocar o email aqui, rsss.

Marco Bastos disse...

Os países e os políticos reúnem-se em “blocos” de proteção recíproca. O pano de fundo desses blocos ainda refletem as velhas tensões “leste-oeste”. A Economia é mandatória e as ideologias, instrumentos de proselitismo. O jogo político exige mais do que carisma e popularidade. É preciso competência de estadista e visão estratégica de longo prazo. Muitas vezes as ideologias e os compromissos externos comprometem o bom desempenho interno e interrompem pretensões de políticos.

marcia disse...

Jorge concordo,o poder atrai e trai...bjus

Manuela Mourão e Silva disse...

O PT e suas lideranças, que têm perpetrado ataques diários e insistentes à imprensa e
seus profissionais, chegaram agora ao absurdo de criar “listas negras” para expor, à
execração da sua militância, jornalistas e artistas que pensam diferente do partido e
têm a coragem de expressar publicamente estas opiniões...isto que se chama poder? Abraço Jorge.

Vera Fracaroli disse...

Não existe mais "votar em branco" ou "não votar": se vc fizer
isso não poderá se pronunciar, protestar, reclamar, etc... Como vc vai reclamar de algo que vc NÃO ajudou a acontecer? O cara te pergunta: vc votou ?
Resposta: não! Votou em quem? Resposta: em ninguém! E o cara: então fica calado que vc não pode cobrar de um "cidadão" que não recebeu seu voto: nem A FAVOR
nem CONTRA! Entendeu? Tem que dar resposta nas urnas e cobrar depois com a certeza de quem confiou certo ou errado em alguém, concorda comigo???
Quando vejo uma reportagem de uma pessoa pobre sofrendo por falta de atendimento na rede publica de saúde fico inconformada, pois essa mesma pessoa se vende por
uma bolsa que poderia estar sendo revertida em saúde, educação e outras necessidades básicas da nossa sociedade. Enquanto o PT quiser que nossa sociedade
sejam feitos de ignorante padeceremos nesse governo. Que falso poder é esse. Um abraço caro Jorge, a esperança é a última que morre!