quarta-feira, 9 de junho de 2010

Ídolos de sempre

Garrincha















Sim, amigo. Um livro destes é interessante, com passagens pitorescas como o radinho que Garrincha comprou na Suécia! Mas quem se interessa?
Esta é verdadeira, quem conta é Newton Santos, o maior lateral esquerdo do Brasil e do mundo. Caso ele visse espaço, saia em busca do gol.
Fez um, na Copa da Suécia. Desarmou o atacante, viu um corredor aberto e partiu firme.
Forte, alto, atlético, fez um gol com o seu famoso chute fortíssimo.
Seu apelido "Enciclopédia" vem daí. Conhecia a defesa, o meio de campo e o ataque.

Vou contar, não aguento!
Garrincha apareceu no futebol por causa dele. Foi fazer um teste no Botafogo, disse que era ponta direita e o técnico, Gentil Cardoso, de sacanagem, vendo aquelas pernas tortas, colocou no treino.
Ora, o ponta direita é marcado pelo lateral esquerdo, no caso, Newton Santos. Entre outras, Garrincha colocou uma bola entre as pernas do zagueiro, a famosa “caneta” !
Acabado o treino, Newton falou particularmente com o técnico: "contrata esse cara, fez o que quis de mim, e eu só paro se der porrada nele."
Foi o bastante para Garrincha começar na ponta direita do Botafogo.
Chamava todos os seus marcadores de “João”, pois não se preocupava em saber nomes; sua ingenuidade era tão grande como o seu futebol.
Yashin, o famoso goleiro russo que pegava até pensamento, o Aranha Negra, fez questão de no seu jogo de despedida, que seu ídolo Garrinha fosse o ponta direita do time adversário.
Ambos são mortos. Será que morreram mesmo? "Encantaram-se."
Acabei de escrever uma crônica.


Resposta a um e-mail, onde escrevi uma crônica sem perceber.

11 comentários:

Caio Martins disse...

Grande Jorge... Belíssima crônica, a que acaba de escrever. Garrincha era simples, alegre e se divertia com o que fazia. Fez muito "joão" pelo caminho. Homenagem merecida para quem encantou o mundo, até ficar encantado...

Chica disse...

Muito legal essa crônica!Lembro do jeitão dele!abração,tudo de bom,chica

Sueli disse...

Jorge, Garrincha é imortal e eu tive o prazer de vê-lo jogando. Era criança ainda, mas desde aquela época eu gosto muito de futebol, por essa razão não me esqueço dos imortais. Um deles é Garrincha! (um dos maiores). Abração!

Marcia disse...

Oi Jorge Garrincha é uma lenda do nosso futebol gravado em ferro e fogo,no tempo em que os nossos jogadores jogavam por amor a camisa
Bela crônica..bjus

Márcia Sanchez Luz disse...

Jorge, você faz crônicas como quem está batendo um papo. É muito bom te ler, amigo!

Beijos

Márcia

Lara Amaral disse...

Sou tão desligada de futebol que não assisto nem copa do mundo. Mas sim, as histórias pessoais são sempre interessantes.

Abraços.

Pedro Jorge disse...

Jorge, um cronista simples e excelente, falando de Garrincha, outro simples e maravilhoso dentro de um campo. De quebra, Newton Santos. Muito interessante a convivência com estes simples.
Abraços,
Pedro

Marliborges disse...

Olá, passando para conhecer. Muito bom, adorei o blog.

Garrincha. Que saudades, e como jogava, tive o prazer de vê-lo jogando. Mas, quando a cabeça não ajuda... e foi isso que aconteceu.
Bjsssss

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Isso é que é interesante na sua escrita: é natural, solta, leve. Vira crônica sem que se perceba. Tem muito "escritor" por aí querendo alcançar esse estágio. Parabéns, meu amigo.

Livinha disse...

Uma linda crônica por sinal.
Jorge parabéns!!
Adorei. Com isto, tomei conhecimento da história do garrincha.
Que maravilha de texto, adorei.
Pareceu um locotor narrando uma partida de futebol. Bem preciso nas tuas letras.

Adorei!

Linda semana pra ti
Bjs

Livinha

ღPat.ღ disse...

Obrigada por tua visita e comentário!
Adorei imenso teu blog e por aqui fico!

Volto mais à noite para lê-lo com mais calma.
Beijo.