segunda-feira, 26 de julho de 2010

Crime

Crime














Violento o homem sempre foi, desde que surgiu na Terra, até mesmo por motivos de sobrevivência.
Fazer história não tem muito sentido; ela já está devidamente escrita por pessoas especializadas.
Quando digo mundo estranho, quero referir-me ao de nossos dias atuais. Incesto sempre houve, de modo especial nas comunidades menos esclarecidas. Descobre-se agora, por exame de DNA, que um cidadão é pai-avô de oito crianças. Uma filha mais velha, que dele também tem um filho, saiu de casa.
A irmã que ficou vive maritalmente com o pai há mais de oito anos, tendo dele sete filhos.
Ora, não se pode dizer, dadas as circunstâncias, que houve abuso de menor, aliado ao constrangimento. Fosse um filho, a hipótese era viável. Mas sete, presume um consentimento pleno. Aliado a idade da filha, vinte e oito anos. Este comportamento não é criminoso, mas altamente agressivo aos costumes da sociedade.
O crime nunca esteve mais forte. É verdade que ele acompanha a vida humana, mas parece que nunca foi tão praticado.
Temos notícias seguidas de modelos estarem sendo mortas, no mundo dito “civilizado”.
As drogas sintéticas, como o ecstasy, por exemplo, tomaram conta de grande parte da juventude, que quando mais curiosa e atrevida, consomem como ato comum, desconhecendo o perigo da “over dose”.
Crianças matam colegas nas escolas, como atiradores ou por acidente. Quando levam armas para mostrar aos colegas.
Sexo oral está sendo comum, nos banheiros de colégios secundários.
O acontecimento não é só brasileiro.
Afinal, o que está ocorrendo?
Que respondam as boas cabeças.

9 comentários:

Rita Lavoyer disse...

Jorge, eu não tenho cabeça boa para responder à sua provocação. Aliás, que provocaçãããõo!

O que você explicita no seu texto não vem de agora.

O que conta é que os "casos", outrora "causos", estão mais evidenciados nesta era, razão pela qual já não temos mais avós contando historinhas aos seus netinhos. Não sei se me faço entender. As histórias fantásticas e maravilhosas de ontem, são as nossas realidades hoje.

Nossos ancestrais não dispunham de órgãos e recursos - "conselhos, imprensa, internet, celular que tira foto, etc...', para registrarem os fatos e denunciarem. Acumulavam experiências- boas e más- nos espinhos e nas flores do silêncio.

O indivíduo que teve roubada a sua infância e cresce apenas em corpo, quando 'adulto' não tem como investir em sua defesa - não tem horizontes, não tem referencial.

Se dentro do lar, onde a maior parte dos bons exemplos devem surgir, não vem acontecendo, que confiança uma criança - vítima doméstica- terá do mundo de fora?
Então, algumas optam pela resignação, pelo pai e pelos filhos do pai.

Cada um se expressa como sabe: Se são hostis comigo, assim serei com o próximo. Aí formam os violentos.

Se fizermos uma análise regressiva na nossa educação moral, chegaremos lá na maçã e na ser'pente'.

Por isso, só penteio os meus cabelos com 'escova'. Fruta, em homenagem aos meus ancestrais, prefiro banana.

Quem mandou fantasiar a história verdadeira, não é mesmo, Jorge?

Blogat disse...

Bad times...um pouco mais de atenção e amor(geral) seria ótimo!

Pedro Jorge disse...

O que está acontecendo?
Um grande abandono da educação cívica e moral. Todos querem aparecer, mesmo que seja na página policial.
Abraço do Pedro.

Caio Martins disse...

Jorge, os valores e princípios foram degradados, nas últimas décadas, pois qualquer sociedade doente é mais fácil de dominar que uma saúdável, calcada em respeito à cidadania. O crime prospera, em todos os níveis, pela permissividade de leis feitas para favorecerem-no. Não é por acaso. A ideologia pretensamente humanista vigente atrás do papel do Estado é, na verdade, pérfida e desumana. Por isso, hoje o crime compensa desde Brasília até as últimas esquinas dominadas pelo narcotráfico. 'Tá tudo dominado.

Abração.

Karine Melo disse...

Jorge, meu querido, obrigada pela visita!

Passo para desejar um lindo dia.

abraço :*

Barbara disse...

Concordo com você mas só tenho um jeito de responder:
A população cresceu e a mídia é intensa.
Porque qto a maldade, o crime, isso é coisa da tal raça humana mesmo.Tudo cresceu em proporção geométrica - até mesmo a ira.(Às vezes duvido que sejamos seres gregários)...
Não que sejam aceitáveis as maldades.
E não que eu seja "cabeça boa" prá ter respondido a você.
1 abraço, Jorge.

Genny Xavier disse...

Não é possível confiar muito na civilização humana que apenas aprendeu a dominar a técnica e a inteligência cognitiva...A lição dos valores ainda não foi apreendida...Talvez por aí caminhe o nosso maior erro e a nossa inevitável extinção...Enfim, não há ação sem reação...
Um abraço,
Genny

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Jorge, meu caro
Você pede respostas. Já eu tenho mais perguntas...
Talvez nos reste rezar. Devolvo a pergunta a você, com meu abraço pelo lúcido texto.

Eduarda disse...

Jorge gosta de colocar questões.
Todas discutíveis. Por que o crime aumentou no mundo?
Pela riqueza mal distribuída, crescimento desordenado e falta de educação.
Tende a piorar, se as medidas não forem tomadas. Extinção da miséria e aumento na educação.
Abraços. Duda