terça-feira, 18 de janeiro de 2011

O maravilhoso mundo do jazz

Aprendi a gostar da música, na época dos negros norte-americanos com quinze anos de idade.
Ouvia pelo programa radiofônico “A hora da Broadway”, às seis da tarde. Ficava impressionado com os músicos que dominavam seus instrumentos, e a interpretação completamente diversa da música clássica e a popular mais trabalhada.
Durante mais de dois anos, ouvia o programa diariamente. Comecei a aprender os nomes de compositores e instrumentistas, além dos conjuntos. Minha mãe, pianista formada e bem razoável no teclado, sempre por perto, ouvia também. Não fazia comentários. Certa ocasião, tocou o mito Charlie “Bird” Parker, na época o maior saxofonista de jazz dos Estados Unidos. Ela veio escutar de perto. Ficou maravilhada! A conhecedora dos clássicos e os seus grandes intérpretes falou simplesmente “jamais escutei nada igual”.
O jazz é a música da alma americana, tradicionalmente. No entanto, uma vez divulgado mundo afora, transformou-se em linguagem música universal. Os antigos músicos e bandas de New Orleans deram lugar ao jazz nova-iorquino, revolucionário e arrebatador.
Nomes? São muitos, impossível catalogar aqui. Diria que os grandes gigantes do jazz são praticamente impossíveis de enumerar. Para não dizer que nada falei, diria e digo Charlie Parker, Red Garland, Ron Carter, Miles Davis, John Coltrane, Bill Evans, Dave Brubeck, Eric Dolphy, Thelonius Monk, Keith Jarret, Ornette Coleman, a lista é imensa, convém parar.
Os improvisos são maravilhosos, e alguns bem longos, ultrapassando vinte minutos, onde o artista vai até as últimas consequências da sua expressividade musical. Este é o famoso jazz de vanguarda, existe o tradicional, nem por isso menos bonito ou importante.
Posso escrever horas. Mas vou encurtar assunto tão fascinante. Minha música é My Favorite Things, com Coltrane e seu quarteto.
Mas continuo gostando, e muito de Harlem Nocturne, do compositor Earl Hagen. Abria A hora da Broadway.

17 comentários:

Mari Amorim disse...

Mandou bem Jorge.
Parabéns!
Boas energias,sempre!
Mari

lino disse...

É uma verdadeira música do mundo. Tenho a felicidade de possuir, entre muitos outros, os 25 álbuns que a Blue Note considerou, há uns anos, os seus melhores de sempre.
Abraço

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

All that jazz... temos maravilhas nesse universo à parte. Sua pena hoje foi sax, em solo inspirado. Bis!

Caio Martins disse...

Parece, Jorge, que temos em comum bem mais que a mera imaginação conceitua... Da mãe violinista herdei o amor pela música e, dentre elas, o jazz. Belo presente para todos nós. Como disse a Mari, mandou bem!

Abração, meu bom amigo.

Marcia disse...

Boa lembrança Jorge.Jazz é uma música que quase sempre vem com aquele sentimento de nostalgia(blues)..Gostosa de ouvir,...bjus

Aline Patrícia disse...

Descobri o Jszz recentemente, com o amadurecimento também nos vem o discernimento das boas coisas da vida: um bom vinho, uma única e boa companhia, bons livros, bons cronistas [risos].. E assim também é com a música, sempre há muito a descobrir. Bom ler, conhecer e ouvir.

Abraço :)

Sandra Botelho disse...

Lindissima canção...Bjos achocolatados

Rita Lavoyer disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rita Lavoyer disse...

Jorge, desculpe-me não comentar a altura do seu artigo. Pouco entendo sobre jazz.Mas aprendi um pouco lendo-o. Obrigada pela oportunidade e pela aula.
Adoro B.B.King 'If you love me'.

"
Afinidade e comunicação
Isso faz, que faz
Isso faz com que a realidade, não
A compreensão é a primeira coisa
Isso significa muito para mim... "

Rosana disse...

Eu gosto muito também, mas não conheço tão bem os músicos e as músicas como você. Insisto mais uma vez em dizer que Jorge Sader também é cultura...PARABÉNS...beijinhossss

Gil Façanha disse...

Amoooooooooooooooo Jazz.. É uma música que te invade e te faz viajar. Muito bom mesmo. bjs.

cristinasiqueira disse...

A maravilhosa memória de Jorge e seu extraordinário bom gosto.

Precioso!

Estou em Trancoso onde o forte é a natureza e não os filmes,senão iria já ,já na locadora pegar BIRD.

Assista por mim enquanto escuto seu presente.

Beijos

Cris

Valquíria Oliveira Calado disse...

ƸӁƷO Equilíbrio Humano

ƸӁƷ As nossas opiniões são apenas suplementos da nossa existência e na maneira de pensar de uma pessoa pode ver-se o que lhe falta.
...ƸӁƷ Deste modo tudo se equilibra: cada um de nós quer ser completo ou, pelo menos, quer ver-se como tal.
ƸӁƷ Johann Wolfgang von Goethe

ƸӁƷ Deixo um abraço de alegria pra seu fim de semana.ƸӁƷ

ƸӁƷ ƸӁƷ
ƸӁƷ ƸӁƷ ƸӁƷ


ƸӁƷ ƸӁƷ

Parole disse...

"... onde o artista vai até as últimas consequências da sua expressividade musical."

Não entendo muito de jazz, mas o definiu maravilhosamente nesse texto encantador.

Ouvirei a música aqui postada.

Beijos e ótimo domingo.

Sandra Botelho disse...

passando pra desejar-te uma bela semana. Bjos achocoaltados

Jeh Vasconcelos disse...

Oi querido, passando para desjar uma semana linda e cheia de luz...

Amei o post sobre o jazz... acho encantador e envolvente...

Beijokas e fique com Deus...

Ana Maria Pupato disse...

Meu querido amigo,
Muito bom ler sobre esse gênero musical que aprendi a conhecer e a amar mais ainda com o marido que sabe tudo como você. Sempre muito bom ler o que escreve!
Beijos mil!!!