terça-feira, 4 de outubro de 2011

Primavera













Primavera

Céu azul intenso e profundo
Tantas belezas distantes
É mesmo um diverso mundo
De artes plenas e reinantes.

Ocultando a nossa arte
De tentar ver o infinito
Em fuga célere parte
E afinal surge o bonito.

É a primavera de amores
Colorida, cheia de flores
Que surge aos olhos cansados.

O campo fica florido
E tudo é tão colorido,
Que nos sentimos amados.

17 comentários:

Gisa disse...

Leve e lindo.
Um grande bj querido amigo

Rita Lavoyer disse...

Acho o soneto muito difícil de ser construído. Por isso eu os adoro.
Parabéns, Jorge!
Feliz Primavera a todos que passarem por aqui!

Mardilê Friedrich Fabre disse...

Não entendo como podes dizer que és mau poesta. Fazer um poema deste nível demosntra habilidade com palavras, rimas, ritmo... Isso é ser mau poeta? Abrs Mardilê

Caio Martins disse...

Para quem diz que não é poeta, está dando lição de forma e conteúdo... Parabéns, Jorge, "quem é rei nunca perde a magestade"!

Espelho disse...

Que delícia para os ouvidos a sonoridade de teu poema! Que doçura que cada estrofe me ofereceu com as palavras adocicadas com sabor de mel!...
Aplausos grande poeta!
Que os demais digam, que grande talentoso é vc como poeta!
Tens a minha admiração incondicional!

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

O tantas vezes contundente Jorge vez ou outra liberta o seu eu lírico - sempre inspiradíssimo. Agora não foi diferente. Bravos ao belo poema.

petuninha disse...

Parabéns! Poema bonito, gostei da forma e do conteúdo. Beijossss

lino disse...

Por cá é outono mas as temperaturas ultrapassam bem os 30 graus.
Abraço

Mari Amorim disse...

Doce como as nuances da primavera!
Um abraço
Mari

Cacá - José Cláudio disse...

Como é bom!!!
Abraços, Jorge. Paz e bem.

Marcia disse...

Terno,doce e belo como a primavera..bjus

cristinasiqueira disse...

oi ,

Sensível como a delicada pétala que voa leve pelo jardim.
Lindo e mais lindo ainda é a voz masculina saudando a primavera.

Cris

Márcia Sanchez Luz disse...

Que bonito soneto, Jorge! Leve e primaveril.
Parabéns!

Beijos

Márcia

Márcia Sanchez Luz disse...

Em tempo: tuitei sua postagem e, se tudo der certo, sai em meu Diário ainda hoje.

Márcia

IDERVAL TENÓRIO/DRA VIRGINIA TENORIO disse...

Meu Guru,como é prima a primavera,como é mãe a natureza, como é rica a poesia e como soa bem a imaginaçãom poética.

Belo poema, bela poesia,bela ode à criação e que inspiração. O assunto é inesgotável. Parabens mestre, um abraço e agradeço os seus ensinamento. Iderval Tenório

Verdades e Mentiras disse...

Jorge, seu poema é a cara da primavera. abs. sandra

Anderson Fabiano disse...

Jorjão querido,

Muito bom ver esse seu "lado B", de poeta, num contarponto formidável com seu "lado cronista". Pois, se de um lado temos a análise centrada, focada e séria, por vezes até cartesiana dos temas atuais, do outro, encontramos um Jorge que é lirismo puro.

Parabéns, parceirinho!

Meu carinho,

Anderson Fabiano