sábado, 30 de junho de 2012

Jazz: Summertime

Jazz

O Modern Jazz Quartet introduziu o Jazz nas grandes salas de concerto mundiais, especialmente da Europa.
Aqui ele se apresenta com o violinista clássico Itzhac Perlman, tocando "Summertime", famoso trecho da ópera "Porgy and Bess", de George Gershwin.
Veja em tela cheia, para dar mais presença.
Créditos: John Lewis, piano; Milt Jackson, vibrafone; Percy Heath, contrabaixo e Connie Kay, bateria.


 http://youtu.be/GD9D1d1T4WQ

14 comentários:

Gisa disse...

De fato, um prazer...
Um grande bj

IDERVAL TENÓRIO disse...

Ao Professor Jorge Cortas Sader Filho.O amigo bateu em cheio no que existe demais sublime na música;(O JAZZ). Demonstrado ficou que criar uma música ,uma melodia ,uma partitura é tarefa hercúlia para o cérebro mesmo que seja uma melodia curta.Agora ,criar e desenvolver um jazz,uma música erudita com uma melodia complexa e de uma longa execução é tarefa para gênios.É o jazz a música mais estuda por nós médicos na recuperação da cognitividade dos seres humanos,cegos enxergam ,surdos escutam,deficientes andam.Fruto da sacudida em todos os elementos cerebrais,massa branca,massa cinzenta,dendritos,vasos e húmus cerebrais .Hoje massageei,fiz uma fisioterapia e me posicionei ao lado dos pensadores. O Jazz é uma das vertentes mais empolgantes para os que pensam.UMA CRIANÇA QUE SE BALANÇA COM JAZZ MESMO QUE TENHA POUCOS MESES DE VIDA, é uma bom sinal para um raciocínio futuro.
Ouvir Miles Davis , John Coltrane e o Itzhac Perlman é para este mortal a recuperação de dados desarrumados desta minha cachola de 60anos e 35 de medicina.Obrigado Iderval

Célia Rangel disse...

Sensivelmente tocada pelo "arco do violino"... transportando-me a verões românticos! Lindo para um final de semana de inverno... Jazz é envolventemente mágico.
"Summertime" é a trilha sonora!
[] Célia.

Carmem Velloso disse...

Jorge, sua postagem mostra bem o seu fino gosto.
Não é só lendo que se aprende, mas ouvindo e vendo o que o mundo nos fornece de belo e bom.
Música, quadros. Arte, enfim. Isto é amor.

Bjs. Carmem

Espelho disse...

Engraçado é que o q foi dito por seu colega, Iderval, é a mais pura verdade! A música erudita quem criou foram os Seres do Astral Superior, para elevação do ser que aqui se encontra em vida experimental, nós... Hoje, ouvi na rádio MEC FM, um lindo concerto de ópera e algumas me relaxaram, outras me agitaram... Gosto de todos esses estilos, me sinto viva e me recomponho! Vc é ótimo, caro amigo, Jorge!

Rita Lavoyer disse...

Se eu pudesse ficaria o tempo todo aqui, só assistindo a essas maravilhas! Mas temos que gostar com moderação KKKKKKK
Lindo demais!
Obrigada, Jorge!

Espelho disse...

O jazz nasceu no Século dezessete - e a bossa nova deu-lhe uma pequena influenciada...
E como diz bem, o nosso colega Iderval, é uma maravilhosa terapia para o corpo e espírito... Os criadores dessas melodias eruditas foram os Seres do Astral Superior, os administradores desta nossa invenção - o mundo material... E, hoje, assisti um concerto de ópera, umas me aquietaram e outras, me agitara... Vc é o máximo meu caro Jorge! Estou ouvindo um termo alternativo da polca, neste instante... Boa Noite de Paz e melodias lindas!

Caio Martins disse...

Excelente, Jorge... Valeu!

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Belo soundtrack para o fim de semana. De Gershwin também gosto muito de Rhapsody in Blue. Abraços, amigo Jorge.

Anderson Fabiano disse...

Bom dia, Jorjão,

Mas, que belo bom dia. Agora, mais que nunca, chegamos na mesma praia. Não há um só dia em que não ouça alguma coisa de Jazz e/ou Blues.

Reunir essa rapaziada e mais o que vem depois, naqueles quadradinhos... tudo de bom. Brubeck, Coltrane, Meeeeu Deeeus! rsss

Belíssimo FDS pra vc!

Meu carinho,

Anderson Fabiano

lino disse...

Uma bela peça de um quarteto que celebra este ano 60 anos de existência!
Abraço

Mardilê Friedrich Fabre disse...

Jorge, para mim isso é verdadeiramente MÚSICA. Não é esse som que se faz. Abrs. Mardilê

marcia disse...

Summertime é uma música divina..Jorge, ouça também Diana Krall uma das novas musas do jazz..bjus

Maria Luzia Fronteira disse...

My friend Jorge belo e terno pra ouvir num jantar à luz da vela por exemplo.
Não sou fã de JAZZ mas dessa composição gostei imenso.
Obrigado pela partilha.
Abraços
Manuela